ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, QUARTA  25    CAMPO GRANDE 31º

Interior

Paraguai envia 4 promotores de Assunção para investigar morte de jornalista

Equipe de Assunção reforça ações do promotor Marco Amarilla, de Pedro Juan Caballero; polícia segue sem pistas de pistoleiros

Por Helio de Freitas, de Dourados | 13/02/2020 15:30
Local onde Leo Veras caiu ferido e placas apontando locais onde estavam cápsulas deflagradas (Foto: Direto das Ruas)
Local onde Leo Veras caiu ferido e placas apontando locais onde estavam cápsulas deflagradas (Foto: Direto das Ruas)

A Procuradoria-Geral de Justiça do Paraguai designou quatro promotores da capital, Assunção, para acompanhar as investigações sobre o assassinato do jornalista brasiguaio Lourenço Veras, o Leo, 52 anos, ocorrido na noite de ontem em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande.

São esperados ainda nesta quinta-feira na fronteira os promotores do núcleo de luta contra o crime organizado Marcelo Pecci e Alicia Sapriza, Federico Delfino da unidade antissequestro e Manuel Doldán, do setor de assuntos internacionais. Eles vão se juntar ao promotor Marco Amarilla, de Pedro Juan, que acompanha as investigações desde a noite de ontem.

A Procuradoria-Geral anunciou ainda na noite de quarta-feira que colocaria todos os recursos disponíveis para chegar aos pistoleiros e aos mandantes do assassinato de Leo Veras. A Polícia Nacional também garantiu ter disponibilizado equipe de investigadores para investigar o crime, mas até agora não há pistas dos matadores.

Três homens encapuzados chegaram à casa de Leo Veras em um utilitário Jeep Cherokee branco. Armados com pistolas e possivelmente também com um fuzil, eles invadiram a casa quando o jornalista jantava com a esposa e o sogro. Leo tentou correr, mas foi atingido com tiros nas costas e caiu. No chão, recebeu um balaço na cabeça. Ele chegou a ser levado com vida a um hospital particular, mas morreu antes de receber atendimento.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário