ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  17    CAMPO GRANDE 23º

Interior

Secretário foi preso quando recebia R$ 36 mil de propina em Chapadão

Por Edivaldo Bitencourt | 10/12/2013 17:23
Secretário que foi detido hoje em flagrante ao receber propina (Foto: Divulgação)
Secretário que foi detido hoje em flagrante ao receber propina (Foto: Divulgação)

O secretário municipal de Finanças de Chapadão do Sul, Altair José Bevilacqua, foi preso, no início da tarde de hoje (10), quando recebia propina de R$ 36 mil. Segundo o Gaeco (Grupo de Repressão ao Crime Organizado), ele era investigado há 60 dias.

Segundo a investigação, conduzida pelo promotor de Justiça Marcus Vinícius Tieppo Rodrigues pelo delegado Alberto Luiz Carneiro, o secretário cobrou 15% de propina para pagar a obra da reforma da Escola Municipal Cecília Meireles, em Chapadão do Sul, a 321 quilômetros de Campo Grande.

Bevilacqua foi preso quando recebia o dinheiro em frente ao Hospital Municipal da cidade. O MPE informou que o valor total da propina era R$ 36 mil. O valor representa 15% dos R$ 240 mil que seriam investidos na reforma da escola.

Logo após a prisão, o prefeito Luiz Felipe Barreto de Magalhães (PTdoB), divulgou nota para informar que exonerou o secretário do cargo. Além de colaborar com a investigação, que foi reforçada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), Magalhães prometeu realizar auditoria em todos os contratos da prefeitura.

O prefeito ressalta que ficou surpreso com a denúncia envolvendo o secretário, que foi um dos coordenadores da sua campanha no ano passado. “ Imediatamente após tomar conhecimento dos fatos, determinei a exoneração do citado servidor, e a nomeação do Sr. Paulo Pereira Borges Filho como secretário interino”, conta, em nota à imprensa.

“A Administração Municipal assume, neste ato, o compromisso de colaborar com a investigação iniciada pelo Ministério Público Estadual, prestando todas as informações que se fizerem necessárias para o completo esclarecimento dos fatos”, garante.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário