A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

23/06/2016 11:22

Sem reajuste, professores confirmam greve e protestam na prefeitura

Sindicato diz que município não apresentou propostas e paralisação foi ratificada em assembleia hoje de manhã em Dourados

Helio de Freitas, de Dourados
Professores de Dourados durante assembleia que confirmou greve a partir de hoje (Foto: Divulgação)Professores de Dourados durante assembleia que confirmou greve a partir de hoje (Foto: Divulgação)

Professores e servidores administrativos concursados que trabalham em 45 escolas e 40 centros de educação infantil de Dourados, município a 233 km de Campo Grande, iniciaram greve por tempo indeterminado nesta quinta-feira (23).

Anunciada na terça-feira, a paralisação foi confirmada em assembleia realizada na manhã de hoje na sede do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) e pode afetar 28m mil estudantes.

A rede municipal de ensino de Dourados tem pelo menos quatro mil servidores efetivos, que cobram da prefeitura o cumprimento da lei do piso salarial dos professores para jornada de 20 horas e reajuste do grupo administrativo.

Sem avanço - “Tentamos dialogar e avançar antes da paralisação, mas não tivemos resposta”, afirmou ao Campo Grande News a presidente do sindicato, Gleice Jane Barbosa.

Após a assembleia, os educadores seguiram para a sede da prefeitura, onde fizeram uma manifestação e devem voltar a protestar amanhã, na Praça Antonio João.

De acordo com o sindicato, servidores de todos os setores da rede municipal de ensino, incluindo equipes da escolas indígenas, começaram hoje a aderir à greve e o número de funcionários paralisados deve aumentar até segunda-feira.

“No início da tarde de quarta (22), representantes do comando de greve foram chamados para uma reunião com o corpo administrativo na prefeitura, mas não houve nenhuma proposta nem sinalização de que os acordos salariais serão cumpridos”, informou a assessoria do Simted.

Entre os itens não cumpridos, segundo o sindicato, estão a incorporação do adicional de incentivo ao magistério municipal, que deveria ter sido pago a partir de 1º de abril, percentual da diferença do piso para 20 horas em outubro, negociado durante a greve de 2014 e previsto em lei, e a reposição da inflação ao grupo administrativo, sem correção desde 2015.

A prefeitura ainda não se manifestou sobre a greve dos servidores da educação.

Professores anunciam greve e afirmam que prefeitura descumpriu acordo
Profissionais da educação do município de Dourados, localizado a 233 km de Campo Grande, prometem iniciar greve por tempo indeterminado a partir de q...
Juiz do Trabalho arquiva ação sobre eleição de sindicato de professores
O processo movido pela chapa impugnada na eleição de 2014 para escolha da diretoria do Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação) de ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions