ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  05    CAMPO GRANDE 29º

Interior

Técnicos vão ao Rio Paraguai e começam estudos para projetar ponte internacional

Equipe de engenheiros, autoridades do país vizinho e da Itaipu Binacional visitam Carmelo Peralta nesta quarta-feira

Por Jones Mário | 15/07/2020 13:15
Lancha da Itaipu Binacional e técnicos nas margens do Rio Paraguai (Foto: Divulgação/MOPC Paraguay)
Lancha da Itaipu Binacional e técnicos nas margens do Rio Paraguai (Foto: Divulgação/MOPC Paraguay)

Funcionários do ministério de Obras Públicas e Comunicações do governo paraguaio e técnicos do consórcio Prointec, encarregado do projeto final de engenharia da futura ponte internacional sobre o Rio Paraguai, foram a campo nesta quarta-feira (15). Os profissionais percorreram trecho do curso d’água e visitaram Carmelo Peralta, cidade-gêmea da sul-mato-grossense Porto Murtinho, distante 415 quilômetros de Campo Grande.

A missão também contou com autoridades da Itaipu Binacional, responsável pelo investimento de US$ 75 milhões (R$ 401 milhões, na cotação atual) para a construção da ponte. A obra vai consumar a Rota Bioceânica entre Brasil, Paraguai, Argentina e Chile.

Equipe que foi a campo para estudos sobre a ponte reunida com intendente de Carmelo Peralta (Foto: Reprodução/Facebook)
Equipe que foi a campo para estudos sobre a ponte reunida com intendente de Carmelo Peralta (Foto: Reprodução/Facebook)

A equipe percorreu trecho do Rio Paraguai em lancha que, depois, foi entregue à cidade de Carmelo Peralta, representado pela intendente Mirna Orrego. Segundo publicado pela municipalidade, a lancha ficará a disposição do grupo durante a fase de estudos para o desenho da ponte.

A estrutura sobre o Rio Paraguai vai possibilitar alternativa para escoamento da produção sul-mato-grossense e brasileira via portos chilenos, pelo Oceano Pacífico.

O caminho, batizado de Rota Bioceânica, promete reduzir o tempo de viagem das commodities até o mercado asiático em pelo menos duas semanas, se comparado com o trajeto de exportação pelos terminais de Santos (SP) ou Paranaguá (PR).