ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUARTA  15    CAMPO GRANDE 30º

Cidades

Porto Murtinho terá atalho de 13 km até ponte que vai consumar Rota Bioceânica

Dnit abriu licitação que prevê contrato de até R$ 3,6 milhões para elaboração de projeto do acesso

Por Jones Mário | 29/06/2020 13:19
Trecho atual da BR-267 passa por dentro da cidade de Porto Murtinho (Foto: Edemir Rodrigues/Governo de MS)
Trecho atual da BR-267 passa por dentro da cidade de Porto Murtinho (Foto: Edemir Rodrigues/Governo de MS)

O Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) abriu licitação a fim de contratar empresa para elaboração de estudos e projetos de engenharia do contorno rodoviário norte em Porto Murtinho - distante 440 quilômetros de Campo Grande. O atalho vai ligar a entrada da cidade à futura ponte internacional sobre o Rio Paraguai, obra que vai consumar a Rota Bioceânica entre Brasil, Paraguai, Argentina e Chile.

Conforme documentos anexos ao edital de licitação, o contorno parte da BR-267 e terá 13 quilômetros em pista simples, com acostamento. Serão implantadas sete pontes na rodovia, com extensões entre 100 e 700 metros.

A empresa contratada fará também o projeto de um Centro Integrado de Controle de Fronteira a ser implantado no lado brasileiro, a cerca de três quilômetros da linha que divide o Brasil do Paraguai. O local contará com instalações aduaneiras.

Mapa ilustra trajeto do contorno ao norte do centro urbano de Murtinho (Foto: Reprodução/Dnit)
Mapa ilustra trajeto do contorno ao norte do centro urbano de Murtinho (Foto: Reprodução/Dnit)

Em Mato Grosso do Sul, a BR-267 começa na divisa com São Paulo e termina em Porto Murtinho. O atual traçado passa por dentro do município, o que, segundo edital do Dnit, provoca tráfego intenso de caminhões à espera de descarga no porto do Rio Paraguai.

Os veículos pesados dividem espaço com o trânsito urbano, ciclistas e pedestres, além de construções comerciais e residenciais muito próximas à pista. A intensa ocupação no entorno impede adequações no traçado, por isso a proposta do contorno, conforme o Dnit.

Com a implantação do atalho, o departamento prevê redução dos custos com o frete e o transporte, melhores trafegabilidade, segurança e logística de escoamento de bens de consumo, e redução no tempo de permanência do usuário na rodovia.

Projeto da ponte sobre o Rio Paraguai entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta (Foto: Reprodução)
Projeto da ponte sobre o Rio Paraguai entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta (Foto: Reprodução)

De acordo com edital, a contratação dos projetos para o contorno rodoviário pode custar até R$ 3,6 milhões. A empresa terá 521 dias da elaboração à entrega definitiva dos documentos.

Mais obras - Recentemente, o governo do Estado contratou implantação e pavimentação de 7 quilômetros de contorno rodoviário até o distrito portuário de Murtinho. As obras vão custar R$ 25,2 milhões.

Já a construção da ponte sobre o Rio Paraguai está em processo de licitação. A estrutura que vai conectar Porto Murtinho com a paraguaia Carmelo Peralta está orçada em US$ 75 milhões (R$ 408 milhões, na cotação atual) e será custeada pela Itaipu Binacional.

Com a Rota Bioceânica, o tempo de viagem das commodities produzidas no Estado até o mercado asiático, via portos chilenos, será reduzido em pelo menos duas semanas se comparado com o trajeto atual, pelos terminais de Santos (SP) ou Paranaguá (PR).