ACOMPANHE-NOS    
NOVEMBRO, SÁBADO  28    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Tremor sentido por moradores foi causado por explosão em pedreira

Por Renata Volpe Haddad | 08/07/2016 14:58
Explosivos foram usados em detonação na pedreira. (Foto: Edição de Notícias/ PC de Souza)
Explosivos foram usados em detonação na pedreira. (Foto: Edição de Notícias/ PC de Souza)

Uma explosão na pedreira, localizada a 20 quilômetros de Coxim, distante 260 km de Campo Grande, foi o que causou o tremor que assustou moradores da cidade, por volta de 12h15 desta sexta-feira (8).

Funcionários da pedreira Guaxe, confirmaram ao site Edição de Notícias, a detonação de explosivos, que tenha sido talvez, a maior dos últimos tempos. Segundo os funcionários, as explosões estão acontecendo aproximadamente uma vez por mês.

As explosões são feitas para produção de pedras, de vários tipos, para atender a empresa CCR MS Via. Atualmente a pedreira é de responsabilidade da Guaxe, que presta serviços para a concessionária.

De acordo com o gerente da empresa, Rodrigo Lima, as explosões obedecem todos os critérios da legislação, inclusive são acompanhadas pelo Exército. De acordo com o gerente, minutos antes de detonar os explosivos a secretaria de Desenvolvimento Sustentável é informada.

Ele relata que, infelizmente, por questões de segurança, a empresa não pode emitir alerta com antecedência. Toda essa segurança é para evitar roubo dos explosivos, que são alvos de bandidos especializados em assaltos à bancos, principalmente.

A reportagem do Campo Grande News entrou em contato com o Centro de Sismologia da USP (Universidade de São Paulo) e foi informada que nenhum tremor foi registrado em Coxim.

Caso – Moradores de Coxim sentiram tremores no início da tarde de hoje. Janelas tremeram por alguns segundo e muitas pessoas chegaram a acreditar que poderia ser um tremor de terra igual ao que aconteceu em 2009.

Em 15 de junho de 2009, um terremoto de 4,8 graus na escala Richter fez a terra tremer em Coxim e outros municípios da região norte do Estado, assustando a população. O epicentro do abalo foi uma área pouco habitada no Pantanal.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário