ACOMPANHE-NOS    
JANEIRO, DOMINGO  16    CAMPO GRANDE 24º

Interior

Vereador é preso após noiva relatar agressão em briga por cíumes

Noiva não tinha ferimentos, mas disse que ele tentou sufocá-la; enquando parlamentar tinha escoriações

Por Caroline Maldonado e Hélio de Freitas, de Dourados | 05/09/2021 09:36
Diogo Silveira Castilho, de 36 anos, é médico e vereador por Dourados. (Foto: Reprodução/Facebook)
Diogo Silveira Castilho, de 36 anos, é médico e vereador por Dourados. (Foto: Reprodução/Facebook)

O médico e vereador de Dourados, Diogo Silveira Castilho (DEM), de 36 anos, foi preso em flagrante por violência doméstica, no Bairro Parque Alvorada. Policiais militares da Força Tática fizeram a prisão depois de receberem a denúncia feita por vizinhos, na noite de sábado (4). À polícia, ele contou que brigou por causa de ciúmes que a noiva, de 24 anos, teria de uma assessora parlamentar. No entanto, a noiva disse aos policiais que ele é quem sente ciúmes.

Por volta das 22h30, os policiais chegaram à casa, onde o vereador relatou ter discutido com sua noiva, com quem tem relacionamento há um ano e seis meses. O preso contou aos policiais que no momento da discussão, a noiva avançou nele e, por isso, ele a segurou pelo braço.

As discussões teriam começado na casa de amigos, onde, segundo relato do vereador à polícia, a noiva ficou “emburrada por conta de ciúmes", após uma brincadeira de conotação sexual. Eles foram para casa, onde a discussão continuou.

O médico disse à polícia que a noiva tem ciúmes de uma assessora e queria que ele a demitisse. Depois de gritar com a noiva, alegando que não a traía, a mulher ameaçou ir embora, mas ele disse que ela não tinha condições, pois estava embriagada.

Ele disse que precisou segurá-la pelos braços e colocar na cama na tentativa de acalmá-la, pois ela tentava o agredir. Em seguida, a noiva ficou deitada no colo de Diogo, momento em que os policiais chegaram, conforme o relato do vereador.

A noiva do vereador disse aos policiais que ambos passaram o dia bebendo e acabaram discutindo. Ela disse ainda que não estava machucada, mas que o Diogo tentou "esganá-la com as mãos e sufocá-la com um travesseiro".

No momento em que ameaçou denunciá-lo, a mulher ouviu ameaças de morte, segundo relatou à polícia. Ela afirmou aos policiais que Diogo disse "se você me denunciar, eu te mato" e "você vai acabar com minha carreira política se fizer isso". A noiva disse que não é a primeira vez que sofre agressão física e verbal por conta do ciúmes que ele tem.

O vereador tinha uma escoriação no antebraço esquerdo, conforme a polícia. Eles moram juntos desde janeiro deste ano, mas romperam em junho e reataram o relacionamento em julho. Com eles, mora o filho dele, de 12 anos. Diogo disse à polícia que a noiva já teve crises de ciúme antes, inclusive, presenciadas pelo pai dela. Ele disse ainda que pretende obedecer ordem para manter distância da mulher, já que ela pediu medida protetiva.

O Campo Grande News tentou contato com algum familiar do vereador, antes da publicação desta matéria, pelo telefone celular dele, mas a ligação caiu na caixa de mensagem.

Outro contato telefônico, disponível no site da Câmara Municipal, está impossibilitado de receber chamadas. A reportagem também buscou o contato do advogado do vereador, mas não consta no CNA (Cadastro Nacional de Advogados), o número do profissional.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário