ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
DEZEMBRO, SEXTA  08    CAMPO GRANDE 28º

Cidades

Ministra do Meio Ambiente considera "inaceitável" morte de policial de MS

Aliny Mary Dias | 15/11/2013 08:57

A morte do policial militar Pedro Luiz Souza Gomes que saiu de Mato Grosso do Sul para atuar na Força Nacional em Rondônia foi classificada como “lamentável” e “inaceitável” pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Pedro morreu baleado ontem (14) durante um conflito no distrito de Rio Pardo em Rondônia.

Conforme divulgado pela Folha de São Paulo hoje, a ministra relatou que todos no ministério ficaram abalados com a morte. “Estou muito abalada por causa dessa família, por causa desse profissional, por causa da Força de Segurança Nacional, que é uma turma de primeira linha no combate ao desmatamento na Amazônia”.

Teixeira disse ainda que as circunstâncias da morte do policial sul-mato-grossense serão apuradas. “Eu quero entender em que circunstância aconteceu essa morte. [...] Estou aguardando as pessoas me darem detalhes”.

Ao todo, 146 homens da Força Nacional participavam da operação que tem objetivo de dar início a desocupação da Floresta Nacional de Bom Sucesso. A estimativa do ministério é que cerca de 200 pessoas ocupem ilegalmente a área.

Após a morte de Pedro, todas as equipes que estavam no local foram retiradas por ordem da ministra.

Morte - Conforme o site Rondônia ao Vivo, Luiz Pedro de Souza Gomes, 33 anos, foi alvejado com um tiro na altura do ombro. Ele morreu no local. De acordo com o coronel Enedi, da Polícia Militar de Rondônia, a morte ocorreu durante um confronto entre os policiais e 300 moradores da região.

Luiz Pedro chegou a ser socorrido pelos colegas da Força Nacional, mas não resistiu à gravidade dos ferimentos.

O secretário estadual de Segurança, Defesa e Cidadania, Marcelo Bessa, está reunido para decidir como será feito a evacuação da região do conflito. No momento, segundo o coronel Enedi, a situação é tranquila.

Nos siga no Google Notícias