A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

15/11/2009 09:39

Onda de calor faz sensação térmica chegar aos 40ºC

Redação

A temperatura alta e a sensação de calor deste domingo tiveram início ainda na madruga, quando os termômetros marcaram 34,2°C em Porto Murtinho, o maior calor registrado em todo País, conforme informações do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia).

De acordo com o instituto, a lista incluiu mais dois municípios de Mato Grosso do Sul. A relação tem em segundo lugar o calor em Bom Jesus do Piauí (PI), depois Três Lagoas (MS), Picos (PI) e Itaquiraí (MS).

Pela previsão do meteorologista Natálio Abraão da Anhanguera/Uniderp, até às 14 horas de hoje, nos municípios de Itaquirai e Iguatemi, na região sul do Estado, a temperatura deve chegar aos 42ºC, com sessão térmica de 45ºC.

Em Ladário, os termômetros podem marcar 40ºC até o meio do período. Em Porto Murtinho 39ºC e Coxim 38ºC, com sensação pelo menos 5 graus mais alto.

Segundo Natálio Abraão, o calor será amenizado no período da tarde, quando deve ocorrer pancada de chuva em pontos isolados.

Na Capital, onde a previsão é de máxima de 35ºC, a sensação térmica hoje deve ser de 39ºC, a alternativa é buscar refresco ao ar livre.

A empresária Fernanda Marques, de 30 anos, acompanhada do marido e a filha de 7 anos, foi até os altos da avenida Afonso Pena, em busca de uma boa sombra.

"Está muito quente já às 9h. Não dá para ficar em casa". Na opinião dela, por conta das mudanças bruscas de temperatura, não se pode confiar mais na previsão do tempo. "Ontem mesmo tinha previsão de chuva para todo Estado, mas não choveu", argumentou.

Enquanto o calor aumenta, Milton Martins, de 44 anos, enche o bolso. Segundo ele, a venda de água de coco chega até a dobrar quando a sensação térmica aumenta.

"Calor para mim é lucro. Ontem [sábado], vendi 150 águas de coco. Tem dias que chego a vender de 150 a 250", lembra o ambulante que trabalha há cinco anos com venda do fruto.

A onda de calor, que vem atingido o Estado, preocupa o vigilante Maximiliano de Oliveira Dias, de 32 anos. Pai de três crianças, Oliveira afirma que procura evitar que os filhos fiquem expostos ao sol durante este período.

"Eu e minha esposa nos preocupamos com alimentação deles e os cuidados com a prevenção do sol. Como eles vão para a escola a pé, usam protetor solar", contou lembrando da sua infância. "Na minha época era bem diferente. Não tinha essa preocupação".

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions