A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

15/01/2009 08:53

Para entidade, fusão pode preterir questões ambientais

Redação

A fusão da secretaria de Meio Ambiente com a de Controle Urbanístico, em Campo Grande, pode trazer prejuízo ao tratamento das questões ambientais. No entendimento dele, o Meio Ambiente pode ficar em segundo plano.

"Nesse tipo de fusão geralmente prevalece o que gera receita, então nesse caso, entre conservar uma nascente e obras de urbanização, claro que sobressairá a urbanização. Não que não seja importante, mas corre esse risco de deixar assuntos prioritários de lado", diz Alessandro Menezes, presidente da Ecoa.

Quando foi criada na Secretaria de Meio Ambiente, na atual gestão, afirma, a perspectiva era de que assuntos pendentes fossem solucionados, como a falta do aterro municipal e a manutenção aos cuidados de nossas árvores. "Porém aos poucos foi decepcionando por não tirar as promessas do papel. Com essa fusão o quadro pode piorar", complementa Menezes.

Carro roubado no Rio de Janeiro é recuperado em estrada rumo ao Paraguai
Um automóvel recentemente roubado no Rio de Janeiro foi recuperado por policiais militares em uma estrada vicinal de Japorã –a 487 km de Campo Grande...
Recesso de fim de ano começa nesta semana no Judiciário e Legislativo
Na reta final de 2017, para alguns servidores a "folguinha" das festas começa mais cedo. Em orgãos Estaduais e Federais de Mato Grosso do Sul, tem re...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions