ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SEGUNDA  04    CAMPO GRANDE 23º

Cidades

Presídios de MS vão receber detectores de metais para barrar celulares

Michel Faustino | 02/07/2015 14:16
O anúncio dos repasses dos detectores foi feito pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, durante o encontro nacional do Depen e Consej. (Foto: Divulgação)
O anúncio dos repasses dos detectores foi feito pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, durante o encontro nacional do Depen e Consej. (Foto: Divulgação)

Os estabelecimentos prisionais de Mato Grosso do Sul serão contemplados com 74 equipamentos de inspeção eletrônica fornecidos pelos Ministério da Justiça. Segundo o diretor-presidente da Agepen (Agência Estadual de Administração Penitenciária), Ailton Stropa Garcia, os equipamentos serão entregues em três etapas, a partir do mês de agosto. A prioridade é impedir a entrada de telefones celulares.

De acordo com Stropa, em um primeiro momento, a Agepen será beneficiada com três esteiras de raio x, 12 portais detectores de metais, 18 banquetas de inspeção e 41 detectores manuais, com investimentos na ordem de R$ 387.870,00, sem ônus para o Estado.

Possuem alta tecnologia e, pela primeira vez, estamos recebendo equipamentos desenvolvidos especificamente para serem usados na segurança dos presídios”, destaca.

Conforme o diretor-presidente, o cronograma do Ministério da Justiça estabelece que os equipamentos serão entregues em três etapas: a primeira no mês de agosto; a segunda, em outubro; e a terceira, em novembro. “Estamos trabalhando para que recebamos os nossos já no próximo mês”, informa o dirigente.

Segundo ele, além desses 74, o governo federal deverá entregar mais equipamentos após as Olimpíadas. “Outra opção é que também poderemos adquirir esses aparelhos com os mesmos preços e descontos oferecidos pelas empresas ao Depen”, explica.

Anúncio - O anúncio dos repasses dos detectores foi feito pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, durante o encontro nacional do Depen e Consej. A intenção, informou o ministro, é evitar que celulares e armas entrem nas unidades prisionais, evitando também o constrangimento daqueles que vão visitar os internos e as situações vexatórias para as pessoas.

Em todo do País, serão entregues 4419 aparelhos de detecção, cujos investimentos somaram R$ 17 milhões. Foram obtidos de forma direta pelo Departamento Penitenciário Nacional, com o objetivo de uniformizar e estabelecer um padrão de qualidade técnica dos itens.

Nos siga no Google Notícias