A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

25/04/2009 12:34

Servidores da saúde querem aumento no início de maio

Redação

Terminou há pouco na Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul) a reunião dos servidores da saúde do Estado. Eles querem aumentos de 25 a 50% já no início de maio e exigem que o governador André Puccinelli (PDMB) se reúna com a categoria, antes de encaminhar a proposta de reajuste salarial à Assembleia Legislativa.

De acordo com o presidente do Sintss/MS (Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social de Mato Grosso do Sul), Júlio César das Neves, cerca de 250 trabalhadores em saúde, de todo o Estado, participaram da reunião e aprovaram o percentual de aumento salarial. Ele explica que a sugestão de 6% do governo foi rejeitada por unanimidade.

A partir da proposta votada hoje, um documento será encaminhado à secretária de Estado de Administração Thie Higuchi Viegas dos Santos já na semana que vem. Eles pedirão, inclusive, que a secretária agende uma reunião entre a categoria e Puccinelli.

Atualmente a faixa salarial de trabalhadores da saúde no nível fundamental vigora em R$ 412. Já os funcionários de ensino médio ganham R$ 494, enquanto a categoria de nível superior recebe cerca de R$ 824. Mesmo com percentual baixo de reajuste concedido de cinco em cinco anos, os trabalhadores querem receber mais.

Pela proposta atual, aprovada hoje em assembleia na Fetems, os especialistas com nível superior terão que ganhar R$ 1.236,00 e os auditores R$ 1.684,00. Já os servidores de nível médio deverão ser ressarcidos com R$ 741,60, enquanto os de nível fundamental deverão ganhar R$ 618,00.

Caso o governador persista na proposta dos 6%, uma greve deverá ser deflagrada, conforme Júlio César das Neves. Segundo ele, a categoria está disposta a parar temporariamente seus serviços, dependendo da contraproposta de Puccinelli.

Um entrave bastante sentido pelos servidores é o fato de André não querer se reunir com representantes da categoria de saúde para discutir o reajuste. Na visão de Neves, essa postura é discriminatória.

Presente no local, o deputado estadual Pedro Kemp, do PT, informou pela manhã que os sindicalistas já marcaram reunião com o governador, mas foram informados pelo líder do governo, deputado Youssif Domingos (PMDB), de que Puccinelli não estaria se reunindo com ninguém. "Essa postura do André só comprova que ele realmente não quer conceder o reajuste solicitado pela categoria. Isso, porque ele disse no fim de 2008 que tinha R$ 1 bilhão de reais guardado em cofre. Cadê esse dinheiro?", questionou o petista.

Na Fetems estiveram presentes servidores de Anaurilândia, Aquidauana, Camapuã, Cassilândia, Corumbá, Costa Rica, Coxim, Dourados, Fátima do Sul, Glória de Dourados, Jardim, Jateí, Naviraí, Ponta Porã, Ribas do Rio Pardo, Rio Verde, Três Lagoas e Campo Grande.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions