A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018

18/01/2012 19:35

Simone se compromete a falar com André sobre jornada dos professores

Marta Ferreira e Fabiano Arruda
No encontro, Fetems entregou carta a Simone, ressaltando que em Três Lagoas é aplicado percentual de hora-planejamento. (Edemir Rodrigues/Segov)No encontro, Fetems entregou carta a Simone, ressaltando que em Três Lagoas é aplicado percentual de hora-planejamento. (Edemir Rodrigues/Segov)

Na reunião que fez nesta quarta-feira com dirigentes da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Ensino Público de Mato Grosso do Sul), a governadora em exercício Simone Tebet (PMDB) disse que pessoalmente é sensível à reivindicação da entidade para que os professores tenham um terço da jornada dedicado ao planejamento, mas alertou que o posicionamento que prevalece é o do governador André Puccinelli, contrário a isso. Mesmo assim, Simone se comprometeu a conversar com Puccinelli sobre o assunto, segundo informou o presidente da Fetems, Roberto Botarelli.

No encontro, a Fetems entregou uma carta a Simone na qual lembra que em Três Lagoas, onde ela foi prefeita, já é aplicado esse percentual de hora-planejamento. O assunto, polêmica desde 2008- com a criação da lei do piso salarial dos professores, que inclui o percentual que deve ser dedicado ao planejamento, voltou à tona esta semana após liminar determinar o cumprimento da lei.

A reunião foi marcada após a concessão da liminar, e foi mantida mesmo depois de a decisão ter sido anulada pelo desembargador Claudionor Abss Duarte. No processo, o Governo de Mato Grosso do Sul, ao recorrer da liminar, diz que seriam necessários 4 mil professores a mais na rede estadual de ensino para que os professores possam ter um terço da jornada livre para o planejamento de aulas.

A Fetems diz que a necessidade é menor, de 1,5 mil professores.

O presidente da entidade, Roberto Botarelli, afirmou, ainda que se o Governo diminuir o número de professores convocados, segundo ele estimado em 9 mil pelo governador André Puccinelli, seria possível cumprir a carga, contratando concursados.

A Federação vai recorrer para contra a decisão que anulou a liminar.



Ai, se eu fosse a Simone aproveitava a "saidinha" do nosso querido governador e colocava muita coisa em ordem por aqui, a começar por esse assunto!
 
Josi Araujo em 19/01/2012 12:20:54
Desculpem os homens, mas será que só seriam as mulheres que são sensíveis a doenças dos profissionais em educação que estão sobrecarregados.
 
LUIZIO ESPINOZA em 19/01/2012 10:18:55
Pois é Hugo Alves concordo plenamente com vc. Professores que nao entram em concordancia e acabam se submetendo e votando nessa turminha. Formadores de opinião que somos ainda poderiamos tirar muitos votos desses infelizes ainda. Acho que ainda nao nos demos conta disso.
 
André Nascimento em 19/01/2012 01:43:55
Como é fácil resolver essa situação. As eleições estão chegando, basta que a classe de professores se una (pelo menos uma vez na vida) e não vote nessa turma e nem em seus candidatos. Simples, não!
 
hugo alves em 18/01/2012 08:59:28
essa é a nossa governadora meu parabens
 
FABIO ASSIS DA HORA em 18/01/2012 08:45:26
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions