ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SÁBADO  13    CAMPO GRANDE 17º

Boa Imagem

Guia de vestimenta para valorizar pessoas baixas

Tom Cruise voltou com tudo em Top Gun: Maverick e podemos aprender com ele, que valoriza o seu 1,67m

Por Larissa Almeida (*) | 05/07/2022 09:02

Eu tenho a mesma estatura desde os 12 anos. Os meus 1,56m de altura nunca foram um problema pra mim (e nem deveriam ser para ninguém), muito pelo contrário. Acho fantástico como nós, seres humanos, temos tantas semelhanças e, sobretudo, tantas particularidades. Imagine que chatice se fôssemos todos iguais? No entanto, mesmo sendo uma pessoa baixinha e não tendo nenhuma questão quanto a isso, eu aplico técnicas para valorizar meu corpo e criar a ilusão de ótica de uma silhueta mais longilínea. E, assistindo ao filme Top Gun: Maverick, percebi que o Tom Cruise também o faz, e com maestria. Tive a ideia de compartilhar essas informações para quem se interessar.

Muita gente nem imagina, mas Tom Cruise tem 1,67m de altura e se veste de maneira que suaviza essa característica, até porque contracena com muitas atrizes bem mais altas do que ele e, nos filmes, não conseguimos perceber. Mas que tipo de roupa ele usa para criar esse efeito? Vamos lá, vou ensinar. E as técnicas podem ser aplicadas tanto para homens quanto para mulheres.

1) Apostar em combinação monocromática e em tons mais escuros.

Quando vestimos peças da mesma cor, por exemplo, calça e camisa azul marinho, o nosso olho visualiza apenas uma unidade vertical e isso alonga a silhueta. As linhas horizontais, criadas quando usamos, por exemplo, uma calça preta e uma blusa branca, dividem a silhueta ao meio e dão a impressão de menos altura.

Além disso, as cores mais escuras criam a sensação de menos volume, por isso aquele famoso ditado de “pretinho emagrece”. Na verdade, todos os tons escuros, de uma maneira geral, criam esse efeito. Verde escuro, azul escuro, vermelho escuro, e por aí vai. Em contrapartida, cores muito claras como branco, beges, cinza claros, criam o efeito inverso, de amplitude.

Então, quando visualizamos uma silhueta sem linhas horizontais (tudo na mesma cor) e com cores mais escuras, ou seja, com menos volume, ela se torna mais longilínea.

2) Gola V

Outra coisa que causa a ilusão de ótica do alongamento é o decote/gola V. O nosso olho tende a acompanhar as linhas e as formas que visualiza, e o V cria duas linhas diagonais que levam o nosso olhar de cima para baixo, alongando a silhueta. O mesmo vale para sapatos de bico redondo ou sapatos de bico mais alongado.

3) Terceira peça aberta

Usar terceiras peças como casacos, blazers, jaquetas, coletes, ou até mesmo camisas, abertas, também cria duas linhas verticais que afinam a silhueta e, com isso, produzem a ilusão do alongamento.

4) Boa postura

É possível “ganhar” alguns centímetros apenas alinhando a postura. Neste sentido, exercícios físicos e atividades como pilates ajudam muito. Estamos acostumados a andar olhando para baixo, mexendo no celular, ou sentar curvados para trabalhar no computador, e isso tudo prejudica a coluna e diminui a estatura.

5) Partes de cima curtas

Quanto mais linha de perna deixamos visível, mais altos parecemos. Mesmo que duas pessoas tenham a mesma altura, a que tiver a perna mais longa vai parecer maior. Portanto, vale investir em blazers, jaquetas e casacos curtos, com comprimento até a altura do osso do quadril, e também em camisas para dentro, camisetas mais curtas. Tudo isso criará a ilusão de que suas pernas são mais compridas, e, portanto, alongará a silhueta.

6) Roupas ajustadas

Investir em peças que tenham caimento perfeito é importante porque não vai criar volumes extras nas laterais e achatar. Roupas ajustadas ao corpo são diferentes de roupas apertadas. Importante sobrar, em média, um ou dois dedos de cada lado da peça para não marcar demais o corpo.

Por exemplo, ajustar as mangas de camisas, blusas, paletós, blazers no lugar correto (ossinho do pulso) e costuras dos ombros no lugar (finalizando no ossinho chamado acrômio).

7) Barra feita

Quando a barra da calça está "empapuçada", ela cria linhas horizontais no tornozelo que achatam a silhueta. Além disso, barra sobrando, ou seja, maior do que o comprimento pernas, transmite desleixo, porque parece que a roupa não é sua ou não teve o cuidado de ajustar para o seu tamanho.

(*) Larissa Almeida é formada em Comunicação Social pela UFMS e pós-graduada em Influência Digital pela PUC-RS. Trabalhou durante 14 anos na área de comunicação e imagem em importantes instituições como Caixa Econômica Federal, Prefeitura de Campo Grande, Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Senado Federal, além de ter coordenado a comunicação da Sanesul. Consultora de imagem formada pelo RML Academy e Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Especialista em Dress Code e comportamento profissional por Cláudia Matarazzo e RMJ Treinamento e Desenvolvimento Empresarial. Siga-me no Instagram.

Nos siga no Google Notícias