ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 28º

De olho na TV

As aventuras das rádios que "tocam" notícia

Por Reinaldo Rosa | 15/07/2019 15:46

DINHEIRO PELA JANELA – Um dos principais nomes da comunicação de Mato Grosso do Sul, o inesquecível Jorge Zahran sabia o que queria. E o que não queria. Consultado sobre a possibilidade de gerar uma ‘rádio que só toca notícias’, de pronto, respondeu que “rádio não é de interesse do grupo (Zahran)”.

ALIENADOS EM CAMPO – A posição de ‘Jorjão’ era compatível com a lógica de ouvintes sem 
representação nos índices de audiência radiofônica de então. Uma emissora AM com notícias 24 horas estava fadada ao insucesso. Como, de fato, ocorreu com a CBN sob gestão de tradicional família da cidade morena.

AUMENTA O VOLUME – Muito antes do aparecimento das redes sociais os noticiosos radiofônicos já davam mostras de crescimento em emissoras de Campo Grande. O efervescente período de discussões prós e contra facções partidárias e seus coadjuvantes oferece razoável plantel de informativos no dial.

EM REDE – Consagrado como ‘o horário das donas de casa’ retransmissoras de TVs da capital continuam aplicando na audiência pela audiência. Emissoras aplicam tempo e talento na editoria do baixo clero da notícia. Mundo policial e desventuras estão no cardápio na hora do almoço da capital sul-mato-grossense. Tem de tudo para todos os gostos.

TUDO COMO DANTES – Joel Silva e Lívia Machado mantidos no comando do noticioso das seis horas, na Globo FM-Campo Grande.

LONGE DOS OLHOS – Profissional do jornalismo que atuou durante considerável período na TV Morena, Luciane Mamoré continua na ativa em outro canal. Atualmente faz parte do selecionadíssimo quadro de comunicadores da CBN-Campo Grande.

FALANDO NISSO – Impecável sob todos os aspectos na promoção de evento de real interesse de pessoas dispostas a discutir o país de forma inteligente. Palestra do sociólogo Mário Sérgio Cortella conseguiu reunir e lotar as dependências do Diamond Hall na última sexta-feira.

A GLOBO NÃO MOSTRA - O quadro do ‘Fantástico’ fez paródia da música ‘Mamãe, Eu Quero’ para falar sobre a intenção do presidente de nomear Eduardo Bolsonaro para a embaixada dos Estados Unidos. Na versão ‘Papai, Eu Quero’, um cantor simula a voz caricata de Jair Bolsonaro e é só o filho escolher um país, que ele verá se a vaga está disponível. Informa Daniel castro, no Uol.

A ELEITA - A verdadeira dona do pedaço na atração de idêntico nome na rede Globo, parece ser Paola Oliveira com a personagem Vivi. A cafonice impingida por Juliana Paes na outrora principal protagonista da novela das nove deu lugar ao contagiante texto de Paola.