ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 25º

De olho na TV

Bonito, protestos e destino de cultura

Por Reinaldo Rosa | 29/07/2019 12:25

FIM DE PAPO – Festival de Inverno de Bonito chega ao final de mais uma edição e, como sempre, provocando os mais diversos tipos de comentários. Show ‘particular’ de Gal Costa não foi de autoria dela; apenas acompanhou a massa em coro contra o status quo, digamos assim.

EIXO DA CULTURA - Bonito passa a ser conhecida, também, como destino de cultura. A 20ª Edição do FIB contou com nomes da música, teatro e dança o que muito contribui com este novo cenário.

APARÊNCIAS – Chama atenção a ausência de mídia de empresas locais na programação da TV Morena –principalmente nos chamados horários nobres-. Tabela de preços seletiva (pelos valores) não condiz com a liderança na audiência da emissora.

MAGOEI – Divisão de bens e funções de respeitado grupo empresarial da capital provocou o ‘cada um na sua’. Campeonato promovido pela retransmissora do então uno grupo, não tem vez na editoria de esporte do jornal impresso da família. Simples assim.

VAI BEM – A pouca atividade futebolística profissional em Mato Grosso do Sul provoca a criatividade de editores do setor. Campeonato amador nos chamados campos ‘terrões’ tem boa editoria –e espaço- na TV Morena.

NA MOITA - O programa dominical do apresentador Brejinho, na TV Interativa, navega bem pela atividade de revelar novos talentos de terras guaicurus. Com modesta verba de produção a atração concorre –e se mantem- com tradicionais concorrentes do horário.

AÇÃO – Rádio CBN-Campo Grande segue na atividade de mostrar os reais objetivos de órgão de comunicação social. Carreiras, empregos, e empreendedorismo vêm aí com mais uma palestra de Max Gehringher, no Diamond Hell, em setembro.

CHUMBO TROCADO - A Globo/Rio divulgou determinação do Tribunal de Contas carioca referente inspeção e esclarecimentos em 38 obras do prefeito Marcelo Crivella. Em entrevista ao Balanço Geral RJ, da Record, o alcaide acusou a Fundação Roberto Marinho, do Grupo Globo, de receber R$ 214 milhões sem licitação.

CASO DO IRMÃO NAVES – Mauro Naves é sócio -em restaurante paulista- do advogado a quem deu o telefone no rumoroso caso de Neymar/Nájila Trindade. Demitido o jornalista, agora, a Globo exige que seus profissionais (do jornalismo) declarem se têm “outras atividades além dos trabalhos na emissora”. E informa que não se trata de caça às bruxas. Então tá.