A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 25 de Maio de 2017


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


16/01/2015 10:25

Escolhas da comunicação de Mato Grosso do Sul

Reinaldo Rosa

CONTO DO GISÁRIO – O noticiário radiofônico e televisado foi pautado pela cautela quando se referia ao ‘Sistema Gisa’. A saída de cena da administração Nelson Trad provocou novo comportamento no trato de referida pauta. Mestre Sérgio Cruz foi paladino de atitude uma e indivisível.

NÃO EMPOLGA – Entrevistas de rádio e TV tornam-se simples bate papo entre amigos. Por motivos de educação questões mais incômodas são, geralmente, dispensadas. Prefeito de então, Nelson Trad, deputado federal Mandetta bem como Nain Beydoun (dou-lhe duas) foram questionados sobre o Gisa e os jornalistas entrevistadores se deram por satisfeitos. Menos os ouvintes e telespectadores. Bons anunciantes sempre são poupados. Simples assim.

UM SETE UM – Conforme matéria de hoje deste Campo Grande News “em novembro do ano passado a empresa Telemídia chegou a interromper o funcionamento do sistema alegando falta de pagamento. Nain Beydoun afirmou que a empresa não estava recebendo o pagamento há dois anos e alegou não ter outra saída a não ser a interrupção do serviço”.

VC NA COLUNA – Eu vou. “Um pouco mais madura, aceitei o convite do meu amigo e colega jornalista Bosco Martins. Ele é o cara que confiou e colocou pela primeira vez um microfone em minhas mãos e me encaminhou diante de uma câmera e, de novo, deposita a mesma confiança”. Neiba Ota anunciando saída da ‘abençoada’ oportunidade de fazer parte da Família TV Morena.

CASTAS – O jornalista Bosco Martins já ocupou cargo de dirigente-mor da Rádio e TV Educativa do Estado, na administração Zeca do PT. Hoje, retorna por indicação do PSD, comandado por Antonio João Hugo Rodrigues – que era chefe de Neiba Ota no jornal Correio do Estado-; e por aí vai. Independentemente de sua capacidade, Bosco virou quota.

TRAÇO – Capacidade da equipe da jornalista Maria Ângela Yule não faltou no desempenho das atividades da TV Brasil Pantanal que, como sempre, será rebatizada. Administração estadual anterior apenas ‘cumpriu tabela’ em um dos itens de sua comunicação. Jornalísticos de qualidade não tiveram a devida divulgação.

NA FALTA DE BOLA – “Câmeras de monitoramento estão sendo instaladas nas torres de iluminação do Morenão. Um dos objetivos do investimento da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), é coibir as tentativas de suicídios. No ano passado foram registrados vários casos desse tipo”. Cômica se não fosse trágica esta informação do Campo Grande News, hoje.

VCC NA COLUNA II – “Hoje é o grande dia, é o dia que eu começo uma mudança na minha vida com o auxílio de uma cirurgia, visto que a vida toda tentei conquistar isso por outros meios e não consegui. Para chegar até aqui, foram anos de reflexão – e engordação – e de auto questionamentos sobre o que isso representaria na minha vida”. É a jornalista LizianeBerrocal anunciando sua esperada intervenção cirúrgica. Pensamentos positivos por parte de todos nós.

 

Rádio esbanja potência, mas com público restrito
O ELO – No Brasil todo está disseminada a prática de terceirização de espaços na comunicação falada. Cronistas do rádio esportivo ficam à mercê do bo...
O bagunçado e voraz mercado local das rádios
SENHORES PASSAGEIROS – Nivaldo Mota, João Flores, Miltinho Viana e Marcelo Nunes têm algo em comum. Foram revelados para o rádio de MS originários do...
Sem novas ideias, rádio de MS definha
SINTONIA GROSSA – Tratado como penduricalho de informações oficiais, o rádio de Mato Grosso do Sul definha por não renovar estratégias comerciais de ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions