A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 19 de Agosto de 2018


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


29/05/2017 10:37

Rádios de MS que dão valor a ícones da MPB

Reinaldo Rosa

A VOLTA – A sintonia 1120 kilohertz da faixa de Amplitude Modulada, em Campo Grande, transmite programação de Legião da Boa Vontade. Nos bastidores da radiodifusão existe a possibilidade de retornar a programação de informações da CBN. Ficamos na torcida.

SÓ AQUI – Tom Jobim e Caetano Veloso existem. Para quem procura sair da mesmice de programações das emissoras de FM e AM, de Campo Grande, em especial, a dica é a FM UFMS e 104 Educativa. Autor de ‘Águas de março’ e outros de igual quilate recebem especial atenção da rádio do ‘paliteiro’.

BARGANHA – ‘94 FM Dourados’ virou moeda de troca com a administração municipal local. Raras notícias favoráveis à prefeita, Délia Razuk (PR), contrastam com enxurrada da ‘dinâmica atuação do vereador Marçal Filho’, dono da emissora. Simples assim.

UFA – Final do contrato de Fátima Bernardes com JBS coincidiu com início do imbróglio envolvendo o presidente Michel Temer e o executivo maior da empresa de frios e frias. A jornalista já anuncia joias enquanto o estoque de presuntos não termina nos supermercados.

Jornalista e apresentadora Fátima Bernardes (Foto: Reprodução / Internet)Jornalista e apresentadora Fátima Bernardes (Foto: Reprodução / Internet)

IDEIA FIXA – Autores de tramas da Rede Globo têm a maternidade duvidosa como ponto de partida para futuros enredos. Em quatro novelas atualmente no ar, mães escondem quem são os pais de seus filhos. Sem contar as constantes – e válidas – discussões de gêneros.

VC NA COLUNA – “Fui um dos que lutaram pela implantação do curso de Jornalismo na UFMS. Estive na reitoria como coadjuvante numa reivindicação encabeçada por Pio Lopez, Eudete Petelinkar, Denise Abrahan e muitos outros, lá pelos anos de 1988, 1989. Com tristeza vejo hoje que os jornalistas não saem da faculdade preparados para o exercício da profissão. Enquanto as redações encolhem, as rádios se pasteurizam. E as assessorias crescem exponencialmente e justamente nessa área está uma das maiores carências de nossa grade curricular. Triste. Além disso, comunicação (arte de passar a informação com emoção) é muito explorada com ênfase em qualidade”. Ely Leal.

VC NA COLUNA II – “A implantação do curso de jornalismo na atual Universidade Federal de MS teve ajuda importantíssima do então deputado federal Ruben Figueiró para virar realidade”. Pio Lopez.

VC NA COLUNA III – “Entre inumeráveis ações, a Associação de Emissoras de Rádio e Televisão de MS participou ativamente na luta pela Migração do Rádio em Ondas Médias para Frequência Modulada. Vencemos etapas e começamos a colher os resultados desta imensurável conquista. A primeira foi a de conscientizar o governo federal da importância dessa decisão. Em seguida, participamos do estabelecimento de amplo debate para a fixação de um valor justo para ser pago à União para se efetivar a adaptação destas Outorgas. Creio ser esta a maior conquista alcançada pelos radiodifusores de Mato Grosso do Sul nos últimos tempos”. Rosário Congro Neto.

TVE com nova programação este mês
VEM AÍ - Após conclusão do processo de digitalização, a TVE Cultura anuncia dia 24 de agosto a nova programação. Os trabalhos foram detalhados nesta ...
Sem adesão ao digital, sinal analógico permanece
ÚLTIMA HORA – Não deu outra; foi ampliado prazo para desligamento do sinal analógico para Campo Grande e Terenos. Cidade Morena não atingiu índice ne...
Jornalista de MS se destaca em debate
DA MORENA PARA O MUNDO – Carmen Cestari, na Band/SP, puxou a fila de jornalistas locais a trilharem o cenário nacional. Foi seguida por Ogg Ibrain (R...
Delcídio de volta à mídia local
QUEM NÃO APARECE – Abandonando período de ostracismo voluntário, ex-senador Delcídio do Amaral voltou aos estúdios de rádios e retransmissoras de TVs...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions