ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  02    CAMPO GRANDE 16º

De olho na TV

TV e federação também bagunçam o futebol local

Por Reinaldo Rosa | 13/02/2017 10:39

ISTO É PLANEJAMENTO – Cronista esportivo informa a próxima rodada do campeonato sul-mato-grossense de futebol: “...caso não haja alterações durante a semana por parte da TV e Federação de Futebol...”. Salve Maria Joana.

RETRATO FALADO – Transmissão de futebol ao vivo tira público e repórter esportivo dos estádios. Jornal impresso da capital transcreve o que viu pela TV Morena. Emissora não informou público e renda do jogo; o jornal fez o mesmo. E ocultou o crédito.

ÉTICA AÉTICA – Emissora de FM da capital faz promoção em seu site utilizando-se de personagens de desenhos animados em voga e conhecidos mundialmente. Às favas o respeito aos direitos autorais. Ignora que internet tem alcance mundial. E/ou, que a falcatrua vai longe.

BEM-VINDO – Competente profissional de rádio está de volta a Campo Grande. Em tempos remotos, conseguiu a liderança de audiência de emissoras que acreditaram na programação musical que implantou. Conversações estão adiantadas com os interessados.

ESCREVENDO NISSO – Sem registro de modificações no dia a dia do cotidiano em rádios de Mato Grosso do Sul. Zona de conforto de programadores concede poucas opções para quem deseja –ou pensa- em músicas de qualidade. Haja pen drive.

PAIXÃO NACIONAL – Informação e descontração na medida. Informativo esportivo de fim da tarde da FM Capital promove diferencial na programação e registra considerável aumento na carteira de anunciantes. Emissora, aos poucos, cede ao óbvio; rádio jornalismo é o canal.

MEIO CHEIA MEIO VAZIA – Intervalo com média de 14 minutos e menor espaço para musicais sertanejos. Considerações sobre o ‘Paixão Nacional’.

VAI BEM – ‘Jornal da Record’ segue redondo nas telas de Campo Grande. Mais do que opção aos informativos da concorrência, impõe-se pelo maior número de fatos veiculados. Outras praças da Rede MS também têm presença marcante no horário.

PRONTO, FALEI – Sou jornalista, mas acho muita babaquice (repórter) dizer "entrevista exclusiva", "imagem exclusiva", "furo de reportagem". Isso é ignorar as redes sociais, os sites. A notícia hoje é rápida e exclusividade é coisa rara. Tem mais: é muito chato, quando repórteres locais saem em rede nacional e logo postam no Facebook, como se fosse um grande feito, um grande acontecimento. O bom jornalista é bom no local ou na rede.

VC NA COLUNA – “Alguns coleguinhas ainda carregam um grau de soberba insuportável. E quando alguém vai conferir, vê que a figura não tem onde cair morta!” - Ariosto Mesquita.

VC NA COLUNA II – “TV paga é esgoto puro. Discovery já foi ótimo, hoje, se somar todos os Discoverys não dá meio do original. Você tem informação de melhor qualidade dos canais de ciência do Youtube. Seriados, piorou. Netflix com seus seriados exclusivos está dando aula de como fazer coisas realmente interessantes. Fiquei uns anos sem TV a cabo, voltei por causa de uma promoção combo mas me arrependi. São os mesmos seriados de anos atrás, quase nada novo. Dezenas de canais que não valem um. Lamentável” - Vanderson.