A notícia da terra a um clique de você.
 
23/08/2017 07:11

Cincinnatus, o herói e modelo da direita mundial

Mário Sérgio Lorenzetto
Cincinnatus, o herói e modelo da direita mundial

Hitler ou Mussolini, encarnam a ideologia mais à direita no espectro ideológico? Nenhum dos dois. Foram idolatrados por pouquíssimo tempo e galvanizam mais ódio do que admiração. São nomes que dizem respeito mais a homens de armas que propriamente a um pensamento conservador. Em verdade, só ocupam esse espectro ideológico por terem combatido com ferocidade os comunistas. O verdadeiro e histórico herói da direita é Lucius Quinctius Cincinnatus (Lúcio Quíncio Cincinato). Há todo tipo de relato comovente feito por historiadores romanos sobre heróis e vilões ao longo das primeiras décadas do século V a.C.. Cincinnatus é o maior no panteão dos heróis. Sua história e nome atravessaram mais de dois mil anos e deu o nome à cidade norte-americana de Cincinnati, dentre tantos outros reconhecimentos de sua importância. Ele foi o fazendeiro que salvou Roma e, em seguida, devolveu o cargo e poder, voltando para a fazenda. Muitas histórias romanas o mostram dessa maneira, como um patriota sensato. Mas havia outro lado de Cincinnatus, o de ferrenho oponente dos direitos dos plebeus e defensor dos patrícios.

Cincinnatus, o herói e modelo da direita mundial
Cincinnatus, o herói e modelo da direita mundial

As leis de Roma no tempo de Cincinnatus.

Roma é descrita como um Estado bélico nessa época. Os atuais historiadores dizem que o mais provável de lutas muito locais, no raio de uns poucos quilômetros da cidade. Também garantem que as Doze Tábuas são o melhor antídoto a essas narrativas heroicas. São o primeiro conjunto de leis que foi a público em Roma. Antes delas, as leis ficavam exclusivamente aos cuidados dos patrícios, pobre delas não tinha conhecimento. As Doze Tábuas oferecem o acesso mais direto à sociedade romana, suas casas e famílias, suas preocupações e seus horizontes intelectuais.
Trata-se de uma sociedade bem simples e de ambições restritas. O Estado Romano ainda estava em formação. Os estudiosos dizem que seguem o padrão da obra de Draco na antiga Atenas (VII a.C.) e do código de Hamurabi, na Babilônia mil anos antes de Cincinnatus. Estão longe de constituir um código de leis abrangente. É mais um compromisso para resolver disputas, não há a ideia de uma Constituição. O que fazer se o acusado era idoso demais para comparecer diante do requerente? O requerente deveria prover uma animal para transportá-lo. O que aconteceria se a parte culpada fosse uma criança? A penalidade era uma surra em vez da forca - uma distinção que prenuncia nossas ideias sobre a idade mínima para responsabilidade criminal.

Cincinnatus, o herói e modelo da direita mundial
Cincinnatus, o herói e modelo da direita mundial

As doze Tábuas apontam para um mundo de múltiplas desigualdades.

Havia escravos de vários tipos, desde aqueles que tinham caído em alguma forma de servidão por dívida até os capturados em guerras. E sua condição inferior estava bem explicitada: a pena por agressão a um escravo é definida como metade da pena por agressão a um homem livre. Por uma mesma ofensa, o escravo podia ser punido com a morte e para o cidadão livre, acarretaria apenas uma surra.
Também havia hierarquia entre os cidadãos livres. Uma cláusula estabelece distinção entre patrícios e plebeus, outra entre "assidui" (homens com propriedades) e "proletarii" (sem propriedades). Outra refere-se a patrões e clientes e a uma relação de dependência e obrigações mútuas entre os cidadãos mais ricos e os mais pobres. O princípio básico era que o cliente dependia de seu patrão para proteção e assistência, financeira e de outro tipo, incluindo voto em eleições. Mas era um mundo que chamaríamos de provinciano. Preocupavam-se em como lidar com a árvore do seu vizinho que se projetava sobre sua propriedade ou com os animais do vizinho que corriam descontrolados. E muito mais com a magia. O que deveria fazer se um inimigo enfeitiçasse seus cultivos ou lançasse uma maldição contra você?
Praticamente não há qualquer menção ao mundo fora de Roma - além de um par de referências sobre como determinadas regras se aplicavam a um "hostis" (um "estrangeiro" ou um " inimigo", é a mesma palavra em latim).

Cincinnatus, o herói e modelo da direita mundial
Cincinnatus, o herói e modelo da direita mundial

Plebeus contra patrícios. As primeiras passeatas e greves.

O que dominou a política no tempo de Cincinnatus foi a luta dos cidadãos plebeus para obter plenos direitos políticos e paridade com a elite - os cidadãos patrícios -, que eram geralmente contrários a abrir mão de seu monopólio hereditário de poder. A palavra "plebeu" ultrapassou as fronteiras do tempo e continua a ter enorme peso. Os plebeus perguntavam por que lutar nas guerras de Roma se todo o lucro gerado servia apenas para encher os bolsos dos patrícios. Como poderiam considerar-se cidadãos plenos, quando estavam sujeitos a punições arbitrárias, até mesmo a serem escravizados se caíssem na condição de devedores?
Em 494 a.C., atormentados por dívidas, os plebeus fizeram a primeira de várias passeatas pela cidade, uma combinação de motim e greve, para forçar os patrícios a aceitarem as reformas. Funcionou. Desencadeou uma longa série de concessões que aos poucos erodiram as diferenças significativas entre patrícios e plebeus e reformularam a estrutura do poder político da cidade.

Cincinnatus, o herói e modelo da direita mundial
Cincinnatus, o herói e modelo da direita mundial

Cincinnatus herói de Roma e modelo de virtude e simplicidade.

Tito Lívio descreve Cincinnatus como cidadão romano zeloso para com a república e "exemplum" digno de imitação. Para Tito Lívio, a virtude era obtida por meio da parcimônia e não por meio ao culto do luxo. Conta que Cincinnatus estava em sua fazenda e fora designado como "ditador", com plenos poderes para apaziguar uma contenda entre patrícios e plebeus a respeito da Lei Terentília. Ele também lutou contra os "hispânicos", uma tribo que acossava Roma a tempos. Depois de cumpridas suas tarefas, retorna a vida de fazendeiro e nega a candidatar-se a Cônsul (cargo político maior) no ano seguinte. Pouco tempo depois, o Cônsul Minúcio não conteve o avanço de tribos bárbaras e teve seu acampamento sitiado, gerando terror e agitação em Roma que tinha outra tribo bárbara quase em seus muros . Novamente foram à fazenda de Cincinnatus para convocá-lo. A história se repetiu. Deram o poder de "ditador" a Cincinnatus. Depois de receber o comando de um exército, marchou para onde o Cônsul Minúcio estava cercado e rapidamente derrotou o inimigo e ainda desbaratou a outra tribo que estava mais próxima de Roma. Por essas incríveis façanhas, foi autorizado a atravessar a cidade em triunfo.
No espaço de apenas duas semanas, ele levantou um exército, esmagou os inimigos e largou seu cargo de total poder para retornar novamente à sua fazenda. São esses exemplos que foram canonizados como um exemplo moral de como um nobre romano deveria se comportar. Essa austeridade e modéstia são até hoje consideradas como características desejáveis de um verdadeiro líder. É na época de Cincinnatus que surge a ideia de que um cidadão deve servir seus país e não desejar servir-se de seu país.




imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2017 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.