ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SEGUNDA  26    CAMPO GRANDE 25º

Em Pauta

Coreia do Sul, o exemplo que não estamos seguindo

Por Mário Sérgio Lorenzetto | 17/03/2020 08:01
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


"Isto vai ser duro, não vai ser fácil, mas tem horizonte", afirmou o ministro da saúde da Coreia do Sul quando só havia 50 casos de coronavírus detectados. As medidas surtiram tal efeito que já se vislumbra a derrota da epidemia naquele país asiático.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Medidas rápidas e decididas.


Não houve brincadeirinhas e nem levantaram dúvidas à respeito dos perigos do vírus na Coreia. A reação foi muito mais rápida e decidida. Quando somava meia centena de casos, o prefeito de Daegu, a cidade do primeiro foco, foi aos meios de comunicação e falou de uma "crise sem precedentes " e pediu a todos os cidadãos que ficassem em suas casas e que usassem máscaras a todo momento, inclusive dentro de suas residências. No Brasil, esse chamamento vem ocorrendo de acordo com a consciência de alguns governantes. Em nenhum momento se recomenda usar máscaras em pessoas sadias.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

O mais alto alarme.


O aviso do prefeito ocorreu em 20 de fevereiro. No dia seguinte, já com uma centena de casos, o ministro da saúde qualificou a situação como "urgente" e dois dias depois deu o "mais alto alarme". E isso se traduziu em ações.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Exames em todos que entraram em contato com casos confirmados.


Ao contrário dos demais países, a Coreia não só realizou exames em quem tinha suspeição como em todos que tiveram contato com casos confirmados. "Ao invés de esperar que os pacientes viessem, fomos até eles e buscamos possíveis infectados sem sintomas para evitar que contagiassem a comunidade", explicou Park Neunghoo, o ministro da saúde coreano. O resultado, até agora, foi de 0,8% de letalidade, uma imensa diferença dos demais países.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Geolocalização dos doentes.


A outra medida tomada pelo governo coreano tem caráter tecnológico. Criaram um aplicativo para celulares que mostra onde estão residindo os casos confirmados de coronavírus, sem identificá-los, mas que servisse de aviso para as pessoas onde havia maiores focos.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Cidadãos que respeitam seus semelhantes.


O desrespeito tem sido a norma brasileira para o combate ao coronavírus. Atitude típica brasileira, vai da pessoa mais humilde ao presidente da República. Orgulho para os coreanos, as medidas tomadas pelos governantes, foram respeitadas desde o primeiro dia. A bagunça, marca distintiva do brasileiro, vem acompanhando o crescimento da doença que preocupa o mundo. Afinal, somos um país "amado por Deus", como cantava a musiquinha fajuta.  E  Ele que se preocupe em nos salvar.






Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário