ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, DOMINGO  29    CAMPO GRANDE 23º

Em Pauta

Itália: o bumerangue da justiça volta contra a direita

Por Mário Sérgio Lorenzetto | 15/02/2020 10:10
Itália: o bumerangue da justiça volta contra a direita

Dia da Itália. Todos seus descendentes te saúdam. Longa vida à Bota! Esse trecho de terra com o formato de uma bota tem sido um modelo para o Brasil. Especialmente para os homens de toga. Nossas leis são filhas do direito romano. Vivemos sob a égide de uma lei trabalhista integralmente copiado do estatuto italiano do trabalho. Também vem da Itália a mais famosa interpretação das leis que levaram políticos à cadeia. A "República de Curitiba", os atos emanados das canetas de Moro e seu Ministério Público foram cópias da Mano Pulite italiana.

Itália: o bumerangue da justiça volta contra a direita

Há 28 anos a Mano Pulite destruía parte majoritária da esquerda.

Foi no dia 17 de fevereiro de 1992. Longos 28 anos. A Itália mudou o rumo. Antônio do Pietro, um magistrado desconhecido do sul da Itália, liderou no norte, em Milão, um grupo de magistrados que colocou o país de pernas para o ar. Nesse dia, ordenou a prisão do socialista Mario Chiesa, primeira pedra de um histórico processo batizado como "Mani Pulite" (Mãos Limpas). À saída de Chiesa de um hotel enquanto as pessoas lhe lançavam moedas inaugurou a mudança da ordem batizada como "Segunda República". Nesses 28 anos, a política e a justiça frequentemente dão facadas uma na outra. Em regra, os esquerdistas são os que sofrem as consequências das ordens judiciais.

Itália: o bumerangue da justiça volta contra a direita

Justicialistas versus garantistas.

Tal como na cópia brasileira, na Itália foram criados dois gigantescos grupamentos : os chamados "justicialistas", aqueles que creem em uma justiça supersônica, severa e inclusive sumária para os delitos da administração pública e os "garantistas", representados por aqueles que exigem o rigoroso respeito aos princípios constitucionais.

Itália: o bumerangue da justiça volta contra a direita

Há três poderes?

Há um debate na Itália que ainda não aportou no Brasil. Muitos italianos afirmam que existem apenas dois poderes e uma ordem. Os poderes seriam aqueles emanados do voto popular: Executivo e Legislativo. Para parte dos italianos a justiça é uma ordem e não um poder por não possuir legitimação do voto. E essa é a base onde se assenta o atual debate dos inúmeros conflitos entre justiça e os dois poderes.

Itália: o bumerangue da justiça volta contra a direita

O bumerangue derrubou a direita.

E há uma novidade: os políticos de direita são aqueles que estão à frente dos ataques à "falta de legitimidade popular" da justiça. O bumerangue voltou, pois foi a direita a maior vitoriosa nos tempos da Mani Pulite. E há algo ainda mais inacreditável, a esquerda tornou-se a maior defensora da justiça.

Itália: o bumerangue da justiça volta contra a direita

O caso Salvini que promoveu a volta do bumerangue.

Mateo Salvini tornou-se o maior líder da Itália - e da Europa - da direita. Vinha sendo ungido como o novo Mussolini. Liderava e encantava a direita na França, na Alemanha, na Hungria e na Polônia. Mas a justiça bateu em sua porta. Está para cassar seus direitos políticos. Salvini não poderá mais concorrer a qualquer eleição. O processo contra Salvini o acusa de abuso de poder e sequestro de 131 imigrantes que estavam a bordo de um navio com pretensões de atracar em território italiano em julho de 2019. Não foi a primeira vez, Salvini já havia impedido outro navio de imigrantes. O bumerangue virou. A mesma justiça que não havia enxergado abuso de poder e sequestro no caso do primeiro navio, muito provavelmente cassara Salvini. Não há uma força jurídica ou política na Itália que acredite que Salvini sairá do tribunal com seus plenos direitos políticos. A esquerda pede sua prisão.