ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 21º

Ensinar Juntos

A irritante cultura do imediatismo

Por Carlos Alberto Rezende (*) | 21/06/2024 11:00

Imediatismo é a busca por gratificação instantânea e a dificuldade em adiar recompensas para alcançar objetivos a longo prazo. É uma tendência a priorizar o prazer imediato, mesmo que isso implique em consequências negativas a longo prazo. São exemplos de imediatismo:

- Comprar um item caro por impulso, mesmo que não seja necessário.

- Procrastinar tarefas importantes, como estudar para um exame, para se divertir no momento.

- Comer alimentos processados e açucarados, mesmo que isso cause problemas de saúde a longo prazo.

- Usar drogas ou álcool para obter prazer imediato, mesmo que isso cause dependência.

As causas do imediatismo podem ser diversas, como:

- Cultura de consumo: a sociedade moderna nos incentiva a buscar a gratificação instantânea.

- Tecnologias digitais: as redes sociais e os aplicativos de entrega nos permitem obter o que queremos com apenas um clique.

- Instabilidade emocional: pessoas com baixa tolerância à frustração podem ter maior propensão ao imediatismo.

- Falta de planejamento: a ausência de metas e planos para o futuro pode levar à busca por satisfações imediatas.

Os efeitos negativos do imediatismo podem ser:

- Dificuldade em alcançar objetivos a longo prazo.

- Acúmulo de dívidas.

- Problemas de saúde física e mental.

- Relações interpessoais fragilizadas.

Para combater o imediatismo é importante:

- Desenvolver a capacidade de adiar recompensas.

- Estabelecer metas e planos para o futuro.

-Cultivar a paciência e a perseverança.

-  Priorizar o bem-estar a longo prazo em relação ao prazer imediato.

As tecnologias digitais podem contribuir para o imediatismo nas crianças e nos jovens de diversas maneiras:

1. Gratificação instantânea: plataformas de streaming, jogos online e redes sociais oferecem recompensas imediatas em forma de curtidas, comentários, pontos, níveis e acesso a novos conteúdos. Essa gratificação constante pode levar crianças e adolescentes a associarem a satisfação à velocidade e à obtenção instantânea de resultados, tornando-os menos tolerantes à espera e à frustração.

2. Distrações constantes: novas notificações, mensagens e atualizações competem pela atenção dos nossos filhos e filhas, fragmentando seu foco e dificultando a concentração em tarefas que exigem tempo e esforço. Essa constante busca por novidades e estímulos externos pode dificultar a capacidade de se dedicar a atividades que não proporcionam recompensas imediatas, como estudo, leitura ou hobbies que exigem prática e dedicação.

3. Comparação social: as redes sociais criam um ambiente de comparação constante, onde crianças e jovens se expõem a vidas idealizadas e a um fluxo constante de "sucessos" e realizações dos outros. Essa exposição pode gerar sentimentos de inadequação e a necessidade de obter validação e reconhecimento imediatos por meio de likes, seguidores e compartilhamentos, exacerbando a busca por gratificação instantânea e a sensação de urgência.

4. Cultura do "FOMO" (Fear of Missing Out): a constante exposição a eventos, tendências e experiências compartilhadas online pode gerar uma sensação de medo de perder algo importante ou de ficar para trás. Essa sensação de urgência pode levar as crianças e os adolescentes a priorizarem atividades que lhes garantam estar "conectados" e "atualizados" em detrimento de atividades que exigem tempo e dedicação.

É importante lembrar que a tecnologia em si não é o problema, mas a forma como ela é utilizada. Educar os filhos e filhas sobre o uso consciente da tecnologia, o desenvolvimento da autodisciplina, a importância de atividades offline e o cultivo da paciência e da perseverança, são essenciais para mitigar os efeitos negativos do imediatismo.

Além disso, outras medidas podem ajudar a combater o imediatismo dessa nova geração, tais como: incentivar atividades que exigem tempo e esforço (música, artes, esportes etc); promover a leitura e o contato com a natureza; desenvolver habilidades de foco e concentração; estabelecer limites para o uso de dispositivos digitais; fomentar o diálogo sobre os efeitos da tecnologia na vida social e emocional.

Pode parecer repetitivo, mas é preciso argumentar um pouco mais sobre o que torna o imediatismo tão atraente: a promessa de gratificação instantânea. Contudo ela pode ter consequências negativas e impactar diversas áreas da vida das nossas crianças e jovens:

1. Dificuldade de concentração e foco: a constante busca por estímulos imediatos e a fragmentação da atenção gerada por notificações e distrações online podem prejudicar a capacidade de concentração e foco em tarefas que exigem tempo e esforço, como estudos, trabalhos e atividades que exigem persistência.

2. Impaciência e frustração: a expectativa de resultados rápidos e a dificuldade de lidar com a espera podem levar à frustração e à impulsividade, dificultando a realização de projetos a longo prazo e a superação de obstáculos. A falta de paciência pode resultar em escolhas precipitadas e arrependimentos.

3. Dificuldade de lidar com a frustração: a constante gratificação imediata pode gerar uma baixa tolerância à frustração. Quando confrontados com desafios ou situações que não trazem recompensas imediatas, as crianças e os adolescentes podem se sentir desmotivados e desistir facilmente, sem desenvolver resiliência e persistência.

4. Dificuldade de construir relacionamentos autênticos: a busca por validação instantânea nas redes sociais pode levar à superficialidade nas relações interpessoais, priorizando a quantidade de seguidores e curtidas em detrimento da qualidade dos relacionamentos. A comunicação instantânea pode também gerar conflitos e mal-entendidos, dificultando a construção de laços mais profundos.

5.  Baixa autoestima e ansiedade: a comparação constante com outros nas redes sociais, a busca por aprovação e a necessidade de se encaixar em padrões idealizados podem gerar inseguranças, baixa autoestima, ansiedade e depressão, especialmente em adolescentes, quando não conseguem alcançar os resultados esperados de forma imediata.

6. Dificuldade de lidar com o fracasso: o medo de falhar ou de não alcançar o sucesso rapidamente pode levar nossos filhos e filhas a evitarem desafios e a se contentarem com a mediocridade.  A falta de persistência e a dificuldade de lidar com o fracasso como oportunidade de aprendizado podem prejudicar o desenvolvimento pessoal e profissional.

7. Dependência de dispositivos digitais: a busca por gratificação instantânea pode levar à dependência de dispositivos digitais, afetando a qualidade do sono, as relações interpessoais, a saúde física e a capacidade de se desconectar do mundo virtual e vivenciar experiências reais.

O imediatismo é um desafio presente na sociedade moderna, mas com consciência e esforço, é possível superá-lo e construir uma vida mais equilibrada e satisfatória. É crucial criar um ambiente que promova o equilíbrio entre o mundo digital e o mundo real, ajudando as nossas crianças e jovens a desenvolverem habilidades para lidarem com as demandas e os desafios do mundo moderno de forma consciente e equilibrada, sem abrir mão desse “combo” essencial: educação, desenvolvimento de habilidades de autocontrole, estímulo a atividades que exijam tempo e esforço, fortalecimento da autoestima e criação de um ambiente que valorize a persistência e a resiliência.

(*) Carlos Alberto Rezende é conhecido como Professor Carlão. Siga no Instagram @oprofcarlao.

Nos siga no Google Notícias