A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 24 de Setembro de 2019


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


27/08/2019 07:54

Como desenvolver um plano de negócios?

Emanuel Steffen

O risco é inerente à atividade empresarial. Qualquer interessado em atuar como empreendedor e apostar o seu capital em um novo negócio deve ter a ciência dessa realidade e agir de maneira preventiva antes mesmo de começar suas operações. E justamente para auxiliar nesse objetivo de avaliação e pesquisa prévia é que existe a ferramenta chamada plano de negócios.

Nesse artigo vamos conhecer um pouco mais sobre o que é e como começar a construir um plano de negócio. Devido a sua grande importância para o sucesso das empresas dos mais diferentes ramos é fundamental dedicar tempo ao seu estudo e desenvolvimento. Acompanhe!

O que é um plano de negócio?

Um plano de negócio é uma ferramenta de apoio gerencial muito importante para a avaliação de cenários e a tomada de decisão daqueles que estão ou pretendem estar a frente das organizações. Do ponto de vista mais técnico podemos defini-lo como um arquivo que contém o resumo de itens essenciais às operações de uma empresa, servindo como ponto de partida para sua atuação no mercado.

Como desenvolver um plano de negócio?

Um plano de negócio é feito a partir de pesquisas temáticas que são condensadas em um documento que contém geralmente 4 partes principais. Vejamos agora quais são e o que representam cada uma delas.
Análise de mercado

O primeiro item trata da análise do mercado e seus componentes. É aqui que as pesquisas devem se concentrar em entender e descrever qual a atratividade do mercado, ou seja como ele cresceu ao longo dos anos e quais são os principais players de referência.

Também é preciso estudar qual o perfil dos potenciais clientes, como atuam os fornecedores, e os futuros concorrentes. As entidades de classe, associações, sindicatos, agências reguladoras e as publicações especializadas são as principais fontes de dados para essa pesquisa.

Planejamento operacional

Nessa etapa é preciso pensar como será o funcionamento da empresa. Nela é preciso definir itens como: quais os processos a serem desempenhados, como será o organograma, o fluxo de trabalho e o estudo detalhado sobre as atividades exercidas por cada cargo e os requisitos necessários para investidura em cada um.

Também é nesse momento em que são definidos os investimentos a serem realizados com a compra de máquinas e equipamentos cruciais para o trabalho, estabelecendo assim qual a capacidade máxima de produção e os custos incorridos em cada produto ou serviço. O capital de giro - que são os recursos básicos para o dia a dia do negócio como: aluguel, salários, energia, insumos - também é calculado nesta etapa.

Planejamento financeiro

Com todos os dados levantados nas pesquisas das etapas anteriores é possível agora calcular qual o investimento total a ser realizado para o início da empresa e qual o retorno esperado. O investimento total é a soma do capital de giro e do investimento físico realizado no negócio.

Por meio da análise de mercado é possível traçar uma previsão de receita e deduzindo os custos, é possível chegar nas informações sobre o ponto de equilíbrio (onde receitas e despesas empatam), lucratividade (o que sobra ao fim da operação) e o prazo de retorno do investimento.

Planejamento estratégico

Com uma visão global sobre o mercado, sobre o “funcionamento interno” da empresa e com as informações sobre o retorno esperado do capital investido, é possível planejar quais serão as estratégias a serem adotadas para atingir esses objetivos.

Essa é a finalidade desta etapa, construir uma estratégia capaz de entregar os resultados desejados utilizando para isso diversas ferramentas da administração como: análise S.W.O.T, construção de cenários, diagrama de ishikawa e muitos outros.

Cabe aos gestores o estudo sobre cada uma dessas etapas e a aplicação das ferramentas gerenciais disponíveis para minimizar o risco do empreendimento e maximizar as chances de êxito da empreitada. É importante ressaltar que por se tratar de uma ferramenta de análise, o plano de negócio não é estático, devendo ser atualizado periodicamente para que cumpra a sua finalidade.

E então gostou de conhecer mais sobre os principais pontos de um plano de negócios? Aproveite para comentar e continuar acompanhando a coluna para conhecer mais sobre esse e outros assuntos relevantes para o sucesso da sua empresa.

Disclaimer: A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

Como garantir um bom atendimento ao cliente?
A competição entre as empresas é cada vez maior nos mais diversos nichos de mercado. Para vencer essas disputas diárias as empresas têm procurado aum...
5 Práticas que dificultam o crescimento das PMEs
Empreender é uma atividade arriscada por natureza e com muitos obstáculos de mercado a serem superados. Essa é uma realidade comum a qualquer empresá...
"Estimular a demanda" é um atentado à lógica
Você é o sobrevivente de um naufrágio e está sozinho em uma ilha. Não há nada pronto à sua disposição. Tudo o que você quiser consumir você terá ante...
Qual o tema mais importante em finanças?
No artigo anterior abordamos a importância de adotar uma postura mais empreendedora na carreira profissional dada a nova realidade de mercado marcada...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions