A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


25/09/2017 10:50

Obstáculos macroeconômicos e sua vida privada

Emanuel Steffen

Acredito piamente que qualquer indivíduo tenha a capacidade de construir e alcançar uma melhora em seu padrão de vida atual. E acredito também que, dada a estabilidade de um país (leia-se liberdade econômica), construir esta melhora de vida, trata-se muito mais de uma questão de vontade, perseverança e disciplina do que algum outro tipo de sorte ou situação favorável prévia. Você não precisa contar com a loteria federal para alcançar os seus sonhos, muitos menos já ter nascido em “berço de ouro”. Você pode ganhar um salário mínimo ou ser de uma família de
classe de média, não importa.

Quando digo que é uma questão de escolha obviamente não estou dizendo que todo o processo de construção de riqueza será fácil. O que quero dizer é que todo esforço necessário ao longo desta jornada, com toda a certeza, será
recompensador. Os resultados visualizados justificam o desejo e quando existe um desejo muito forte por algo, este algo se torna consequentemente possível. É o famoso: Quem tem um sincero “porquê”, enfrenta qualquer “como”.
Aliás, é importante falarmos um pouco mais sobre isso e esclarecer alguns pontos.

De fato as dificuldades que os indivíduos enfrentam ao buscar a melhora em seu padrão de vida existem e acredito que elas sejam de duas ordens principais: os obstáculos internos (do indivíduo consigo mesmo) que são mais óbvios de se entender através da empatia que todos possuímos. E os obstáculos externos, que podem ser de ordem econômica e legal, e também de ordem social. Neste artigo quero dar destaque primeiramente aos obstáculos externos de ordem econômica e legal e sua influência em nossas vidas. Falaremos do restante em outra
oportunidade.

Já pontuei linhas atrás que se a sua condição financeira atual não for animadora, ela não será impeditivo para que você consiga construir renda passiva substancial e liberdade financeira. A dificuldade será maior, o prazo para atingi-la também, mas definitivamente não será algo impossível de ser realizado. Posso afirmar isso pois, do ponto de vista externo, os obstáculos econômicos e legais que temos no Brasil (na época de produção deste artigo) por mais limitadores que de fato sejam, ainda não constituem uma barreira definitiva ao progresso financeiro\material das
pessoas, mesmo que estejam em estrondosa desvantagem em relação aos indivíduos residentes de outros países que usufruem de maior liberdade econômica.

Obstáculos externos, econômicos e legais, são aqueles que dizem respeito ao ambiente econômico e jurídico do país. Por exemplo: os ciclos econômicos de crescimento e recessão, a política econômica adotada pelo governo, o impacto das taxas de juros, o peso da carga tributária e a contrapartida em serviços públicos, os níveis de corrupção e desvio de dinheiro, a formação de cartéis pelo corporativismo estatal e muito mais. Do ponto de vista jurídico podemos citar as leis que normatizam nossas relações de trabalho e produção, como as leis trabalhistas, regulamentação de setores específicos, leis ambientais, leis a cerca da propriedade e etc.

Quando o ambiente “macro” de uma país entra em colapso e não consegue mais garantir um mínimo de estabilidade necessária para o desenvolvimento dos seus cidadãos, o melhor a se fazer geralmente passa por mudar de país. Temos exemplos claros deste tipo de situação hoje no mundo, como o que acontece em países em guerra e\ou em deterioração econômica. Muitas pessoas enfrentam o mar do caribe fugindo da ilha socialista Cubana em direção à costa Americana. Os EUA também é o mesmo destino de muitos Mexicanos que se arriscam em cruzar a perigosa fronteira ilegalmente. Novamente o socialismo (sempre ele), desta vez Venezuelano, já produziu sua maior onda imigratória ao Brasil dos últimos anos. No Oriente Médio, temos o exemplo da Síria. A destruição interna causada pela guerra contra o estado Islâmico e a disputa entre as forças pró e antigoverno, levaram milhares de pessoas a buscar refúgio nos países europeus mais estáveis e desenvolvidos. Apenas com estes exemplos podemos entender muito da maioria dos fluxos migratórios existentes em nossa era.

O que vemos nesses exemplos é que quando o ambiente “macroeconômico” está em colapso pouco pode ser feito por um indivíduo. A estabilidade é fator indispensável para que as pessoas possam desenvolver as suas vidas. Nessas
situações não há possibilidade de buscar um progresso financeiro pessoal, pois as bases de sustentação do país estão prostradas em terra. Não se é mais possível obter renda suficiente pois a fraca atividade econômica desestimula a produção aumentando o desemprego. O desemprego por sua vez, impacta as forças de consumo, inibindo ainda mais os estímulos e a confiança dos empreendedores em voltar a investir nos seus negócios, afundando ainda mais a situação.

Com isso podemos entender o grande impacto da economia em nosso cotidiano e a importância também da política, que detém o poder de tão diretamente influenciá-la com suas ações. Isso nos desperta para a necessidade de compreensão e envolvimento com o que ocorre no cenário político econômico atual, pois em primeira e em última instância se trata de sua própria vida, dos seus meios de sobrevivência e do seu futuro.

Portanto não há muito o que pode ser feito por uma pessoa quando um cenário macro se apresenta doente. Mas, ao contrário, quando as coisas ainda não “desandaram de vez” é preciso a sua conscientização, envolvimento e participação para que um cenário mais estável se mantenha e permita aos cidadãos desenvolverem suas vidas cotidianas, trabalharem, estudarem, casarem, consumirem, alcançarem liberdade financeira, conforto e progresso intelectual, material e espiritual.

Fica então o convite ao amigo leitor para pensar nestas questões. 2017 já finda e um novo ano de eleições está no horizonte. O que esperar do meu país? Mais

Intervencionismo ou mais liberdade? Até que ponto o governo deve meter-se na vida privada? Um governo deve usar o imposto dos mais pobres para socorrer empresas ou setores tidos como estratégicos? Qual a finalidade última de um governo? Em quais atividades um governo deve se envolver e por qual motivo? O que é mais importante igualdade ou liberdade? É possível ter os dois? Vivemos uma constante ode ao senso crítico e ao questionamento.

Vamos praticar esse exercício? Esses e outros questionamentos são de extrema importância para que
você defina sua posição política no âmbito econômico, seja ela mais liberal ou mais estatizante. Abaixo apresento algumas fontes que serão muito úteis em lhe ajudar na sua formação de opinião a respeito da realidade econômica do país. Espero que aproveite. Até a próxima.

Instituto Ludwig von Mises - Brasil ("IMB") é uma associação voltada à produção e à disseminação de estudos econômicos e de ciências sociais que promovam os princípios de livre mercado e de uma sociedade livre. O IMB acredita que nossa visão de uma sociedade livre deve ser alcançada pelo respeito à propriedade privada, às trocas voluntárias entre indivíduos, e à ordem natural dos mercados, sem interferência governamental. Portanto, esperamos que nossas ações influenciem a opinião pública e os meios acadêmicos de tal forma que tais princípios
sejam mais aceitos e substituam ações e instituições governamentais que somente protegem os poderosos e os grupos de interesse, criam hostilidade, corrupção, e desesperança, limitam a prosperidade, e reprimem a livre expressão e as oportunidades dos indivíduos. Site: http://www.mises.org.br/

Instituto Liberal: Instituto Liberal é uma instituição sem fins lucrativos voltada para a pesquisa, produção e divulgação de idéias, teorias e conceitos que revelam as vantagens de uma sociedade organizada com base em uma ordem liberal. O Instituto Liberal pretende atingir seu objetivo através de uma ação permanente e de longo prazo no campo das idéias, realizando estudos e pesquisas e divulgando seus resultados, publicando livros e panfletos, recorrendo aos meios de comunicação para a difusão de suas idéias, promovendo cursos, colóquios, debates, seminários e
conferências, e conversando diretamente com as pessoas. Site: http://www.institutoliberal.org.br/

Disclaimer: A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação  relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de  produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro  Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de  profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor  isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

4 maiores mitos sobre finanças pessoais
Alguns mitos insistem em prevalecer na mente das pessoas e servem como sustentação para que elas não tenham coragem de investir nos próprios sonhos. ...
A importância de dar uma pausa
Estou escrevendo este texto em um dos muitos feriados que este ano teve, e já pensando que o próximo também terá vários. Quem me conhece sabe que est...
Por que a maioria das lojas online não aceita débito
Desde que a internet se popularizou entre as pessoas no mundo todo, uma das áreas que mais cresceu foi, sem dúvida, a de comércio eletrônico. No come...
Errou? Que bom, agora você é alguém melhor e mais forte!
Errar. Como erramos durante toda a nossa vida, não é mesmo? Pode ser nos negócios, nas contas, nas relações, na falta de coragem ou nas decisões prec...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions