A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

17/12/2013 18:29

Aneel aprova venda do Grupo Rede, dono da Enersul, para a Energisa

Vinícius Squinelo

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) aprovou, nesta terça-feira (17), o plano de recuperação técnica e de falhas apresentado pela Energisa para as oito concessionárias de distribuição do Grupo Rede Energia, que estão sob intervenção do órgão regulador desde agosto do ano passado. Dentre elas, está a Enersul (Empresa Energética de Mato Grosso do Sul), concessionária responsável pela distribuição de energia elétrica em 74 dos 79 municípios do Estado.

Além da Enersul, passam a ser controladas pela Energisa a Celtins (Companhia de Energia Elétrica do Estado do Tocantins), Cemat (Centrais Elétricas Mato-grossenses), CFLO (Companhia Força e Luz do Oeste), EEB (Empresa Elétrica Bragantina), Caiuá Distribuição de Energia, CNEE (Companhia Nacional de Energia), e EDEVP (Empresa de Distribuição de Energia Vale Paranapanema).

Para assumir as oito distribuidoras que pertenciam ao Grupo Rede, a Energisa se comprometeu a aportar investimentos de R$ 1,1 bilhão nas empresas, além de pagar as multas e reestruturar os perfis das dívidas dessas companhias.

No caso específico de Mato Grosso do Sul, o plano da Energisa prevê R$ 154 milhões a menos em investimentos do que a necessidade da empresa. “Na percepção da Administração da Intervenção, o montante total de investimento necessário para o período de 2013 a 2017 é de cerca de R$ 900 milhões, enquanto o previsto pela Energisa foi de R$ 746 milhões”, informou Jerson Kelman, em documento denominado “Comentários do Interventor da Enersul”.

De acordo com a apresentação da Energisa, entre os objetivos da companhia estão a redução do nível regulatório de perdas nessas concessões, a melhoria da qualidade dos serviços prestados aos usuários e ainda a busca por ganhos de produtividade.

"O plano de recuperação técnica é o mais importante. Com essa aprovação, 90% da situação está encaminhada", avaliou o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino. Ele lembrou, entretanto, que o processo de recuperação judicial do Grupo Rede segue tramitando na Justiça.

A aquisição dessas distribuidoras pela Energisa já havia sido aprovada pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica). A Aneel deve analisar a autorização final para a transferência de controle para a Energisa em janeiro de 2014. Até lá, as empresas continuam sob intervenção.

Protestos – Hoje os funcionárias da Enersul paralisaram as atividades da concessionária em Campo Grande. O sindicato dos funcionários da empresa exige a garantia de que a venda da empresa para o grupo Energisa não resulte em demissões.



OS FUNCIONÁRIOS DA EMPRESA, NÃO TEM NADA A VER COM A TRANSAÇÃO, POIS SÃO ASSEGURADOS PELA LEI TRABALHISTA, POIS QUE COMPRA COMPRA TUDO, RESPONSABILIDADE, PRETÉRITA, PRESENTE E FUTURAS, É SÓ TRABALHAR, E SER EXCELENTE FUNCIONÁRIO, POIS SÓ VAI PARA CÉU DE DEUS, OS EXCELENTES, OS RUÍNS, SERÃO QUEIMADOS, COM ENXOFRE, SÓ PROMOVIDO, QUEM TEM COMPETÊNCIA E DEDICAÇÃO, QUE DEUS ABENÇOE OS NOVOS DIRIGENTES E OS EMPREGADOS.
 
PEDRO BRAGA em 18/12/2013 08:44:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions