ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
DEZEMBRO, SEXTA  01    CAMPO GRANDE 26º

Cidades

Sem garantia de empregos, funcionários da Enersul vão parar por 48 horas

Aline dos Santos | 16/12/2013 12:36
Funcionários vão protestar contra proposta da Energisa. (Foto: Divulgação/Sinergia)
Funcionários vão protestar contra proposta da Energisa. (Foto: Divulgação/Sinergia)

Mesmo com acordo sobre a questão salarial, os funcionários da Enersul farão paralisação de 48 horas, amanhã e quarta-feira, em busca de garantia de que os empregos serão mantidos com a venda da empresa. A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) analisa nesta semana o plano da Energisa para assumir a Enersul e outras sete distribuidoras do Grupo Rede Energia.

“Não querem incluir um texto que garanta a manutenção dos postos de trabalho. Na audiência da Aneel, a Energisa deixou bem claro que pretende descentralizar. Querem terceirizar, tirar a Enersul daqui”, afirma o presidente do Sinergia (Sindicato dos Eletricitários de Mato Grosso do Sul), Élvio Marcos Vargas.

Segundo ele, durante a paralisação de 48 horas será mantido cota mínima para cumprimento dos serviços essenciais. Na quarta-feira, às 16h, acontecerá uma nova assembleia.

Nesta segunda-feira, houve entendimento quanto ao reajuste. A empresa vai oferecer 6.48%, sendo 5.48% de reposição da inflação e o restante de ganho real. A Enersul tem 1.080 funcionários.

O plano da Energisa prevê R$ 154 milhões a menos em investimentos do que a necessidade da Enersul. “Na percepção da Administração da Intervenção, o montante total de investimento necessário para o período de 2013 a 2017 é de cerca de R$ 900 milhões, enquanto o previsto pela Energisa foi de R$ 746 milhões”, informa Jerson Kelman em documento denominado “Comentários do Interventor da Enersul”.

A empresa atende a 94,4% da população de Mato Grosso do Sul, num total de 2,4 milhões de habitantes.

Nos siga no Google Notícias