A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 16 de Outubro de 2018

10/04/2018 14:00

Após vencer Chile e Equador, MS espera gente do mundo todo para evento

Intenção é vender roteiros de Bonito e região do Pantanal para operadores do setor de países como Estados Unidos, Canadá, Alemanha, entre outros

Mayara Bueno
(À esquerda), o governador Reinaldo e o diretor-presidente da Fundtur, Bruno Wenndling, em discurso. (Foto: Marina Pacheco).(À esquerda), o governador Reinaldo e o diretor-presidente da Fundtur, Bruno Wenndling, em discurso. (Foto: Marina Pacheco).

Após vencer disputa com Chile e Equador, Mato Grosso do Sul foi escolhido para sediar o 1º Adventure Next Latin America, que vai reunir gente do mundo todo em novembro de 2018, em Campo Grande. O evento é o maior na área de ecoturismo e turismo de aventura da América Latina.

Nesta segunda-feira (dia 10), o governador do Estado, Reinaldo Azambuja, assinou a carta compromisso com ATTA (Adventure Travel Trade Association). Também participaram da solenidade, promovida no gabinete do governo na Expogrande, Alexandre Nakagawa, coordenador-geral de Segmentos Turísticos da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo).

Entre 7 e 9 de novembro, a feira vai ocorrer no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, na Capital, para receber operadores de turismo do mundo todo. O objetivo é fazer negócios com os países para que eles passem a ofertar passeios e destinos do Estado para os turistas estrangeiros.

A princípio, a rota será Bonito e região do Pantanal. São aguardadas pelo menos 400 pessoas de países como Canadá, Estados Unidos, Alemanha, Inglaterra e Austrália. Da América do Sul, Paraguai, Bolívia, Chile e Argentina.

De acordo com o diretor-presidente da Fundtur (Fundação de Cultura de MS), Bruno Wendling, a exposição será focada para ofertar os roteiros daqui, mas também fazer negócios com agências daqueles países. "É rodada de negócios, não é de divulgação. O tarifário será em inglês, faremos um treinamento em julho com os operadores, para uma boa rodada".

A escolha por MS, ainda segundo diretor, ocorreu em virtude da região turística ter um custo-benefício, capacidade de organização e por Campo Grande, local sede, ser uma cidade planejada e porta de entrada para os roteiros turísticos.

Para o governador, a intenção é fomentar e estruturar ainda mais os destinos turísticos sul-mato-grossenses. Atualmente, cidades como Costa Rica, Rio Verde, Coxim e Alcinópolis são potenciais e estão recebendo atenção do governo e iniciativa privada para, futuramente, também serem destinos visitados por gente de fora.

Observatório - O resultado da feira será avaliado posteriormente por um observatório criado pela Fundação de Turismo. Porém, o diretor-presidente explica que somente a exposição poderá movimentar não só as cidades turísticas, mas Campo Grande também, já que será sede.

Este mesmo observatório também estimou que, em 2017, houve aumento de 5% no número de turistas que visitaram Bonito, considerado o principal destino de ecoturismo no País. O percentual representa 230 mil e conta somente com pessoas que desembarcaram no Aeroporto Internacional de Campo Grande.

Fora este meio de transporte, há pessoas de países da América do Sul que chegam até Bonito via fronteiras secas que o Estado faz com Bolívia e Paraguai ou outros meios terrestres.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions