A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

14/07/2016 08:18

Auditores fiscais da Receita Federal iniciam paralisação nesta quinta em MS

Movimento nacional tenta pressionar o governo federal a enviar ao Congresso Nacional projeto de reajuste salarial dos servidores

Helio de Freitas, de Dourados
Prédio da Receita Federal em Ponta Porã (Foto: Ponta Porã Digital)Prédio da Receita Federal em Ponta Porã (Foto: Ponta Porã Digital)

Os auditores fiscais da Receita Federal em Mato Grosso do Sul iniciam nesta quinta-feira (14) o protesto que tenta pressionar o governo a enviar ao Congresso Nacional o projeto de reajuste salarial da categoria. A paralisação ocorre em todo o país.

Em Mato Grosso do Sul, o principal impacto da paralisação é esperado nas Aduanas da Receita em Corumbá, na fronteira com a Bolívia, e Ponta Porã e Mundo Novo, na fronteira com o Paraguai.

Anderson Akahoshi Novaes, vice-presidente da Delegacia Regional do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal do Brasil em MS, disse que na delegacia da Receita Federal em Dourados e nas demais cidades fora da fronteira, somente os serviços urgentes, demandas judiciais e atendimento não serão prejudicados.

“Todos os demais serviços serão afetados pela paralisação, o que pode prejudicar o ajuste fiscal do governo federal, tendo em vista a queda na arrecadação”, afirmou.

“A paralisação começa hoje e continuará por tempo indeterminado. Haverá operação padrão e não cumprimento de metas durante todo o período. Nas terças e quintas terá paralisação total das atividades”, disse Novaes.

Nessas cidades, além de paralisar as atividades nas terças e quintas, os auditores vão fazer a chamada operação “pente fino” nos demais dias da semana, o que consiste em intensificar a fiscalização para liberação de cargas e bagagens. Esse tipo de ação provoca filas nos postos aduaneiros.

Filas na fronteira – O auditor fiscal Fábio Galizia Ribeiro de Campos, presidente da Delegacia Regional do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal em Mato Grosso do Sul, disse que a fila de veículos na fronteira será um reflexo natural da paralisação.

Segundo ele, a maior preocupação do governo é com o fluxo de mercadorias durante os Jogos Olímpicos, que começam no dia 5 de agosto. Campos informou que o salário dos auditores está defasado há dez anos.

De acordo com o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita, no dia 6 de julho houve uma reunião “decepcionante” com o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, na tentativa de destravar o projeto de lei.

O ministro disse aos auditores que existem dificuldades técnicas e jurídicas a serem tratadas sobre a reivindicação da categoria.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions