A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 27 de Junho de 2017

12/01/2017 12:33

Bancários protestam e colhem assinaturas contra mudanças na Caixa

Priscilla Peres e Elci Holsback
Abaixo assinado reuniu assinaturas contra mudanças. (Foto: Elci Holsback)Abaixo assinado reuniu assinaturas contra mudanças. (Foto: Elci Holsback)
Sindicato distribuiu panfletos sobre o tema. (Foto: Assessoria)Sindicato distribuiu panfletos sobre o tema. (Foto: Assessoria)

Cerca de 30 pessoas entre sindicalistas e trabalhadores participaram de um protesto hoje, contra a reestruturação da Caixa Econômica Federal. As pessoas se reuniram e assinaram um abaixo assinado, em frente da agência da rua 13 de Maio esquina com Cândido Mariano.

O protesto de hoje é uma mobilização nacional contra as mudanças que serão analisada pelo Congresso Federal, e devem entrar em vigor este ano. A mobilização aconteceu entre às 11h e meio-dia e recolheu cerca de 100 assinaturas.

De acordo com o secretário de Imprensa e Comunicação do sindicato, José dos Santos Brito, a mudança prevê fechamento de 400 agências no país e desligamento de 10 mil pessoas entre demissões e aposentadorias. Ainda não há dados de fechamento a nível regional.

"Isso seria uma grande perda não só para funcionários, pois a Caixa subsidia vários financiamentos, como FGTS e Minha Casa Minha Vida. Quando ela deixa de ser um banco público e vira monopólio a sociedade toda sai perdendo, por que os juros devem subir", afirma José Brito.

O sindicato ainda pede mais transparência do governo em relação a mudança, para que não seja como no caso do Banco do Brasil, que segundo ele, os funcionários souberam pela imprensa.

Reestruturação - Em 2017, a Caixa Econômica pretende abrir um plano de demissão voluntária para cortar 10 mil funcionários, de um total aproximado de 95 mil. Além disso, o banco também planeja fechar mais de 100 agências, que seriam substituídas por postos de atendimento ou correspondentes. Desde 2014, o banco já fechou aproximadamente 6 mil vagas.

“A situação já é de sobrecarga e adoecimento dos bancários nas unidades de todo o país, o que vai se agravar ainda mais com a diminuição do número de trabalhadores. Uma medida que também vai atingir toda a população, porque além dos serviços bancários, os cidadãos buscam na Caixa o acesso a benefícios e direitos como FGTS, PIS e Bolsa Família, além dos financiamentos habitacionais”, afirma Brito.

Polícia investiga participação de bancários em golpe de cheque clonado
A Polícia Civil de Campo Grande investiga se há participação de bancários em novo tipo de estelionato praticado na cidade. Os primeiros registros oco...
Receita reduz para 60 dias prazo de restituição do Simples e MEI
A Secretaria da Receita Federal publicou nesta terça-feira, 27, no Diário Oficial da União (DOU) mudanças em instrução normativa que dispõe sobre res...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions