A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 19 de Junho de 2018

14/12/2017 11:18

Campo Grande gera quase um terço de todo o PIB do Estado, aponta IBGE

Estudo sobre o Produto Interno Bruto brasileiro mostra avanço da importância do interior em relação às capitais, quadro também registrado em Mato Grosso do Sul desde 2002

Humberto Marques
Campo Grande gerou 0,4% do PIB brasileiro em 2015, sendo responsável ainda por quase 30% das riquezas de Mato Grosso do Sul. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Campo Grande gerou 0,4% do PIB brasileiro em 2015, sendo responsável ainda por quase 30% das riquezas de Mato Grosso do Sul. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

Praticamente um terço do PIB (Produto Interno Bruto) de Mato Grosso do Sul em 2015 foi gerado em Campo Grande. Os números constam em estudo divulgado nesta quinta-feira (14) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), e mostram que, embora haja dominância da Capital sul-mato-grossense em relação ao Estado, os demais municípios ganharam importância ao longo dos anos.

Segundo os números, o PIB de Mato Grosso do Sul foi de R$ 83,08 bilhões em 2015. Desse total, R$ 58,8 bilhões foram gerados nos municípios (70,9%), enquanto R$ 24,2 bilhões saíram da Capital (29,1%).

No ano anterior, porém, houve recuo do interior, com o PIB de Campo Grande atingindo R$ 23,8 bilhões, sendo superior a 30% do total estadual (de R$ 78,9 bilhões). Naquele ano, demais municípios juntos colaboraram com R$ 55,1 bilhões.

Série histórica – O IBGE apontou que, na comparação com dados de 2002, houve perda de participação no PIB de 20 das 26 capitais em relação ao interior dos Estados correspondentes. O quadro é percebido em Campo Grande, onde o PIB representava no início da série histórica 29,7% do PIB estadual, frente a 70,3% das demais cidades.

Naquele ano, o PIB sul-mato-grossense foi de R$ 16,4 bilhões, estando R$ 11,5 bilhões nos municípios do interior e R$ 4,88 na Capital.

Nacionalmente, a participação dos municípios fora das capitais subiu de 63,9% para 66,9% entre 2002 e 2015.

A desigualdade, porém, persiste em relação aos grandes centros na comparação com o resto do país. Em 2015, sete municípios concentravam 25% do PIB do Brasil –São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília, Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Porto Alegre (RS) e Manaus (AM). Juntos, eles abrigavam 14,3% da população brasileira.

Quando são incluídos os 25 maiores municípios do país, independentemente de serem capitais, descobre-se que 37,7% do PIB era concentrado nessas cidades –que representam apenas 23,5% da população. Em contrapartida, 5.545 municípios repartem os 62,3% restantes.

Restringindo-se às capitais, em 2015, São Paulo tinha a maior contribuição para o PIB do país, representando sozinha 10,9% de todas as riquezas geradas naquele ano –a capital paulista também ocupava a primeira posição entre todos os municípios. Palmas ficou em último lugar e em 128º entre as cidades brasileiras.

Campo Grande aparece em 13º lugar entre as capitais e na 31ª posição geral, contribuindo com 0,4% do PIB brasileiro naquele ano –de R$ 5,99 trilhões.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions