ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  16    CAMPO GRANDE 20º

Economia

Capital gasta R$ 5 milhões a mais por mês com pessoal de saúde e volta às aulas

Gastos com Educação e Saúde são “desafio histórico”, avalia secretário de Planejamento e Finanças

Por Caroline Maldonado | 27/09/2021 11:07
Dia de volta às aulas em escola municipal da Capital. (Foto: Marcos Maluf)
Dia de volta às aulas em escola municipal da Capital. (Foto: Marcos Maluf)

Despesas com serviços de saúde e volta às aulas são um "desafio histórico” para Campo Grande, apesar do município ainda estar com a arrecadação maior que a despesa. A avaliação é do titular da Sefin (Secretaria  Municipal de Finanças e Planejamento), Pedro Pedrossian Neto, que esteve na Câmara Municipal, prestando contas aos vereadores, na manhã de hoje (27).

O retorno das aulas, a vacinação e as internações aumentam a necessidade de contratação de pessoal, segundo o secretário. Só com a contratação de administrativo de escolas, a prefeitura tem gastado quase R$ 1 milhão a mais por mês. Já a folha de pagamento mensal da Saúde cresceu em torno de R$ 4 milhões.

“É importante mostrarmos os números para a sociedade, porque é um desafio histórico, em que nos estão sendo impostos gastos dos quais não conseguimos nos esquivar", comentou Pedrossian Neto.

Pessoal - O balanço de maio a agosto, apresentado aos vereadores, mostra que despesas com pessoal e encargos cresceram 8,51%, passando de R$ 1,4 bilhão em 2020 para R$ 1,5 bilhão, no mesmos quatro meses de 2021.

Considerando todas as despesas, a alta foi de 14,63%, passando de R$ 2,3 bilhão para R$ 2,6 bilhão, no comparativo dos últimos quatro meses deste ano com o mesmo período do ano passado.

Apesar do crescimento das despesas com pessoal, os cofres da prefeitura ainda contabilizam superavit, ou seja, a receita ainda é maior do que a despesa total.

Conforme o secretário, as receitas arrecadadas pelo município entre maio e agosto deste ano, somam mais de R$ 3 bilhões, o que representa crescimento de 7,37% em relação aos R$ 2,8 bilhões arrecadados no mesmo período de 2020. Com isso, a prefeitura tem em caixa R$ 209 milhões a mais.

“A gente ainda tem superavit, mas se a despesa seguir nesse ritmo, no futuro, vamos empatar e chegar em deficit. Não podemos deixar isso acontecer. O grande problema é a despesa, mas agora, veio uma série de coisas de difícil controle, que é volta às aulas e despesas com Saúde, vacinação, que está longe de acabar”, detalhou o secretário.

Voltas às aulas - Nos últimos processos seletivos para pessoal na Rede Municipal de Ensino, a prefeitura abriu vagas para assistentes educacionais inclusivos, secretários, merendeiros, inspetor de alunos, agente de patrimônio, entre outras.

Em maio deste ano, a prefeitura contratou especialistas em psicopedagogia para atender alunos com dificuldades e/ou transtornos de aprendizagem na rede municipal. Atualmente, 16 professores especialistas atuam no GAPSI (Grupo de Atendimento Psicopedagógico).

Na semana passada, a Semed (Secretaria Municipal de Educação) publicou resolução que cria um grupo. Conforme a secretaria, o grupo funciona desde 2018, mas a resolução foi publicada apenas para regulamentar o trabalho dos especialistas. Apesar da previsão, na resolução de processo seletivo simplificado para compor o grupo, a secretaria informou que as contratações já foram feitas e não mencionou previsão de novas vagas.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário