ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, TERÇA  16    CAMPO GRANDE 23º

Economia

Com dólar alto, comércio da Capital prega patriotismo para elevar vendas

CDL anuncia campanha com descontos de até 50% e envolvimento de mais de 300 lojas; “concorrência” com a Black Friday não preocupa

Humberto Marques e Tainá Jara | 03/09/2019 18:10
Autoridades e comerciantes apresentaram campanha nesta terça-feira na sede da CDL. (Foto: Tainá Jara)
Autoridades e comerciantes apresentaram campanha nesta terça-feira na sede da CDL. (Foto: Tainá Jara)

Alegando abertamente aderir à “onda nacionalista” no Brasil, e também de olho no dólar alto –que prejudica a concorrência do outro lado da fronteira com o Paraguai–, o comércio da área central de Campo Grande anunciou realizar entre 5 e 10 de setembro uma campanha de vendas alusiva à Semana da Pátria. A intenção é reunir cerca de 300 empresas que, durante o esforço promocional, oferecerão descontos de até 50% (ou até maiores, em alguns casos).

A ação da Semana da Pátria foi anunciada nesta terça-feira (3) na sede da CDL-CG (Câmara dos Dirigentes Lojistas de Campo Grande), decorada em verde e amarelo para ressaltar a bandeira do Brasil –enquanto associados à entidade usavam camisetas que ressaltavam o orgulho em ser lojista brasileiro. A banda do CMO (Comando Militar do Oeste) executou o Hino Nacional.

Presidente da CDL-CG, Adelaido Vila, afirmou que a associação “foi tomada pelo movimento nacionalista”, com a intenção de que a campanha “possa fazer parte da história de Campo Grande, sendo um ato importante na defesa da nossa pátria e desse sentimento de brasilidade”.

Presente ao lançamento da campanha, o chefe de Estado-Maior do CMO (Comando Militar do Oeste), o general de Brigada Giovani Carrião de Freitas deu boas-vindas à CDL na ação. “Há um ano sonhei que o Brasil voltasse a se orgulhar de suas cores. E o sentimento patriótico tem se diluído no nosso país. Essa iniciativa da CDL é uma forma de despertar esse sentimento”, pontuou. “Para mudarmos o nosso país, temos de começar por nossa casa”, emendou.

A campanha já deve contar com dois reforços nas próximas horas: o assessor especial do governo, Carlos Alberto Assis, destacou que o salário do funcionalismo estadual será disponibilizado para saque na quinta-feira (5) e, até o dia seguinte, devem ser pagos os proventos dos servidores municipais.

De olho na movimentação, a empresária Ester Azevedo disse que sua ótica prepara descontos especiais para servidores, entre 50% e 70%, na venda de lentes e armações. “Esperamos atrair mais clientes com essas promoções”, afirmou.

Adelaido considera que Black Friday na fronteira não é concorrente de ação de vendas na Capital. (Foto: Tainá Jara)
Adelaido considera que Black Friday na fronteira não é concorrente de ação de vendas na Capital. (Foto: Tainá Jara)

Concorrência – Centralizada na Semana da Pátria –que inclui o 7 de Setembro, data da Declaração de Independência do Brasil–, a campanha também terá como concorrente outro esforço de vendas que, anualmente, atrai milhares de consumidores às cidades na fronteira entre Brasil e Paraguai. A Black Friday começará também no dia 5, de olho no feriado brasileiro e envolvendo grandes lojas de departamentos de cidades como Pedro Juan Caballero, vizinha de Ponta Porã.

Adelaido admite que a ação de vendas no Paraguai também foi considerada na campanha, “mas não foi o grande provocador do movimento”, uma vez que “entendemos que não concorremos com a Black Friday, pois a nossa é muito melhor: atrai público vizinho a Campo Grande, temos segurança, preços muito bons e produtos pagos com reais, e não com o dólar alto do jeito que está”.

Nesta terça, o dólar encerrou a R$ 4,17 na cotação comercial –abaixo do que é comumente praticado por muitas lojas na fronteira. A alta na cotação da moeda norte-americana –que em agosto superou a barreira dos R$ 4– também foi lembrada pelo prefeito Marquinhos Trad (PSD) como ponto favorável à campanha da Semana da Pátria.

O presidente da CDL ainda lembrou que, no mesmo período de 2018, ocorreu o Liquida Centro –também com descontos para os clientes da Capital. “Agora estamos alterando o projeto, mudando as cores da liquidação para fazer parte deste grande projeto, maior, que é de resgate ao patriotismo”, finalizou.

Nos siga no Google Notícias