A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 15 de Agosto de 2018

23/05/2018 18:29

Com paralisação nas rodovias, farmácias correm risco de ficar sem produtos

Estabelecimentos também devem ser atingidos em consequência dos protestos dos motoristas nas rodovias

Gabriel Neris
Caminhoneiros protestam pelo terceiro dia consecutivo e travam rodovias de MS (Foto: Paulo Francis)Caminhoneiros protestam pelo terceiro dia consecutivo e "travam" rodovias de MS (Foto: Paulo Francis)

A paralisação dos caminhoneiros autônomos em protesto contra o preço do litro do diesel também pode provocar desabastecimento de medicamentos nas farmácias.

A presidente da Anfarmag-MS (Associação Nacional de Farmacêuticos Magistrais de Mato Grosso do Sul), Márcia Ribeiro Arão, demonstra preocupação, principalmente por serem produtos transportados via terrestre.

“A maioria das nossas cargas são termolábeis, sensíveis a temperatura. Isso pode desabastecer o setor”, afirma. Caso os trabalhadores não retomem as atividades, a presidente da Anfarmag-MS prevê que o desabastecimento de medicamentos manipulados ocorra dentro de cinco dias.

Procurada pelo Campo Grande News, a Drogasil do Shopping Campo Grande informou que há expectativa de que um caminhão abastecido de medicamentos está na estrada e chegue nesta quinta-feira na Capital. “Estamos esperando a mercadoria. São dois caminhões que vêm de Goiânia três vezes na semana”, informou o supervisor Renan de Andrade.

Segundo ele, os caminhões de segunda-feira chegaram a tempo. Além destes previstos para amanhã, o próximo abastecimento está marcado para sábado.

Na Farma & Farma, o atendente Josimar Zerbinatti informou que até o momento o estabelecimento não foi afetado e que os pedidos são entregues no dia seguinte, mas a chegada prevista para terça-feira ocorreu somente hoje. “Mercadoria de fora do Estado demora um pouco mais”. De acordo com ele, o estoque é suficiente para atender a população.

A rede São Bento se pronunciou por meio de nota e informou apenas que “cerca de 50% dos produtos, tanto da perfumaria, como dos remédios, são originários de outros estados. Caso o problema persista, o estoque pode ficar comprometido”.

O presidente do Sinprofar-MS (Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos de Mato Grosso do Sul), Roberto Martins Rosa, disse que o balanço sobre a possibilidade de desabastecimento deverá ser feito nesta quinta-feira.

A Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias) informou que as farmácias e drogarias de todo o país já estão sofrendo com o desabastecimento.

Em Mato Grosso do Sul cerca de 25 trechos foram interditados nesta quarta-feira. Até mesmo um trem foi impedido de seguir viagem por um grupo de manifestantes que estacionou um caminhão guincho sobre um trilhos da Ferronorte, em Chapadão do Sul, a 321 quilômetros da Capital.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions