A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 20 de Outubro de 2017

12/06/2014 18:31

Com pouca concorrência, ambulantes lucram com torcedores na Vila Brasil

Mariana Lopes
Com pouca concorrência, ambulantes lucram com torcedores na Vila Brasil
Ambulantes tinham pouca concorrência e disseram que o lucro foi bom na Vila Brasil (Foto: Mariana Lopes)Ambulantes tinham pouca concorrência e disseram que o lucro foi bom na Vila Brasil (Foto: Mariana Lopes)
Suely e o namorado foram preparados para assistir ao jogo (Foto: Mariana Lopes)Suely e o namorado foram preparados para assistir ao jogo (Foto: Mariana Lopes)

Nos altos da avenida Afonso Pena, o verde e o amarelo invadiram a Vila Brasil, na tarde de hoje (12), em Campo Grande. Com torcedores espalhados até no canteiro central da via, quem lucrou durante o jogo de abertura da Copa do Mundo foram os vendedores ambulantes.

Enquanto as seleções do Brasil e da Croácia disputavam a bola no campo do Itaquerão, em São Paulo, os ambulantes não precisaram disputar os consumidores na arena da Vila Brasil, onde foi montado um telão para os campo-grandenses assistirem aos jogos. Com o número baixo de vendedores, o lucro foi bom, e antes de começar o segundo tempo os isopores dos ambulantes já estavam quase vazios.

"Tem pouco concorrência aqui, a venda está boa", afirmou o vendedor Junior Batista Almeida, 29 anos. Para o primeiro jogo do mundial, ele levou 200 latinhas para vender, e antes de acabar o primeiro tempo, 80 delas já tinham ido compradas.

Pablo Aquino dos Santos investiu um pouco menos. No isopor dele tinham 36 latinhas de cerveja. Assim que o primeiro tempo acabou, só restavam 13. "O pessoal está tomando bastante, estou aqui desde o início do jogo e já vendi mais da metade do que eu trouxe", observou o ambulante.

Josué Conceição, 39 anos, resolveu investir em outro produto. Ele trocou a cerveja pelas cornetas e garante que o lucro foi bom. "Acho que vou levar uns R$ 100 daqui hoje, e ainda pude assitir ao jogo, curtir a torcida, está bom, né?!", destacou. A cornete pequena custa R$ 10, enquanto a grande sai por R$ 15.

Mas teve torcedor que quebrou o esquema de vendas dos ambulantes. A operadora de caixa Suely Almeida, 24 anos, foi assistir ao jogo na Vila Brasil com o namorado, e o casol se preparou bem antes para torcer para a seleção. Na caixa térmica, que também serviu de banco, eles levaram 36 latinhas de cervaja. "Gastamos R$ 30, acho que economizamos bastante", pontuou a jovem.

Com os ambulantes, cada latinha era vendida por R$ 3, se o consumidor levasse 2, pagava R$ 5. Se o casal relamente consumir as 36 latinhas e comprasse dos vendedores da Vila Brasil, gastaria R$ 90.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions