A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 17 de Novembro de 2018

22/09/2017 18:35

Dólar tem dia de ajustes das recentes altas e fecha em queda

Niviane Magalhães, do Estadão Conteúdo

A sexta-feira, 22, foi marcada por ajustes para baixo no dólar tanto ante o real quanto em relação às moedas emergentes e ligadas a commodities, após uma semana de altas impulsionadas pela sinalização do Federal Reserve (Fed) de mais um aumento de juros neste ano nos EUA. A moeda americana ficou enfraquecida também ante outras divisas fortes mas, neste caso, devido às tensões geopolíticas entre os EUA e a Coreia do Norte, o que elevou a busca por moedas de segurança como o iene e o franco suíço.

Para o operador da corretora H.Commcor Cleber Alessie Machado Neto, o mercado está começando a retomar a trajetória de queda que vinha traçando antes da reunião do Fed. "O Fed abriu espaço para uma alta pontual do dólar durante a semana, afinal deixou em aberto a chance de mais um alta de juros neste ano e anunciou o início da redução de seu balanço patrimonial", pontuou.

"Com isso, tivemos uma correção de alta no dólar, mas agora começa a voltar para a tendência de baixa que vinha ante as moedas emergentes no geral", destacou Machado Neto, acrescentando que no caso do Brasil o fator preponderante para a melhora do real é a melhora do cenário econômico.

Ante outras divisas fortes, o dólar também recuou. A busca por iene e franco suíço aumentou depois que a Península Coreana voltou ao radar do mercado, após o ministro de Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, afirmar ontem em Nova York que Pyongyang poderá realizar um teste nuclear de proporções inéditas no Oceano Pacífico.

Voltando para o ambiente interno, o mercado seguiu acompanhando os desdobramentos políticos, à espera por novas notícias. Hoje, a Secretaria-Geral da Mesa Diretora da Câmara decidiu não desmembrar a denúncia contra o presidente Michel Temer e seus ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria Geral da Presidência) e encaminhar à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) uma única solicitação de Instauração de Processo (SIP). Caberá à CCJ decidir durante o processo se fará o fatiamento da denúncia. O envio da denúncia à CCJ só acontecerá na segunda-feira (25). O pedido havia sido feito pela defesa de Temer em um tentativa de desvincular as acusações contra seus ministros com sua imagem.

No mercado à vista, o dólar fechou em baixa de 0,48%, aos R$ 3,1271. O giro financeiro somou US$ 953 milhões. Na mínima, a moeda ficou em R$ 3,1233 (-0,60%) e, na máxima, aos R$ 3,1378 (-0,14%). Na semana, o dólar subiu 0,45%.

No mercado futuro, o dólar para outubro caiu 0,45%, aos R$ 3,1280. O giro financeiro somou US$ 11,74 bilhões. Durante o pregão, a divisa oscilou de R$ 3,1260 (-0,50%) a R$ 3,1405 (-0,04%). Na semana, o dólar futuro acumulou ganho de 0,30%.

Dólar desacelera queda ante real após decisão do Fed, mas termina em baixa
O dólar desacelerou as perdas ante o real - chegando a subir levemente - nesta tarde, de quarta-feira, 20, depois que o Federal Reserve (Fed) deixou ...
Dólar segue movimento no exterior e sobe ante o real na expectativa com Fed
Em dia de noticiário interno mais ameno, o dólar operou em alta nesta segunda-feira, 18, atrelado ao exterior. Lá fora, a moeda americana deu continu...
Dólar cai a R$ 3,11 com aposta de denúncia mais fraca contra Temer e fluxo
O dólar aprofundou as perdas ante o real nesta tarde de quinta-feira, 14, e fechou no nível de R$ 3,11 diante da percepção de enfraquecimento da segu...
Dólar avança com exterior, mas perspectiva de fortalecimento do governo continua
O dólar fechou em alta nesta quarta-feira, 13, seguindo o comportamento da divisa no exterior e alguma cautela interna, embora tenha desacelerado os ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions