A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 19 de Setembro de 2017

03/08/2017 18:50

Dólar tem leve queda após vitória de Michel Temer na Câmara Federal

Niviane Magalhães (Estadão Conteúdo)

O movimento vendedor prevaleceu no câmbio no fim dos negócios nesta quinta-feira, 3, após o dólar operar próximo à estabilidade, ora em alta, ora em baixa. Um dia após a votação da denúncia de corrupção passiva contra o presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados, profissionais do mercado apontaram que a vitória já estava precificada e por isso o movimento foi mais fraco. Além disso, foi visto também um dólar no zero a zero no exterior, com os investidores à espera do relatório de emprego nos EUA (payroll).

"Embora o número de votos a favor de Temer não tenham chegado aos 300, eles ficaram perto, o que trouxe esperança para seguir com as reformas, principalmente a da Previdência. Ainda que tenha tido divisão dentro do PSDB em relação à votação, muitos do partido são favoráveis às reformas, o que traz certo alívio", explicou o diretor de câmbio da Abrão Filho, Fernando Oliveira.

O dólar está no patamar pré-delação JBS - no dia 17 de maio -, "e deve continuar assim, uma vez que a moeda em R$ 3,10 abre oportunidade de compra. Uma queda mais acentuada devemos ver apenas se tivermos novidades em um andamento mais concreto na reforma da Previdência", destacou Oliveira, da Abrão Filho.

Enquanto o mercado opera em compasso de espera por novas notícias na cena política, o diretor da corretora Mirae, Pablo Spyer, pontua que fatores exógenos devem contribuir mais para o movimento da divisa ante o real. "O Dow Jones rompeu o patamar psicologicamente importante dos 22 mil pontos, o que mostra que os investidores estrangeiros estão indo atrás de ativos reais. Além disso, os preços dos imóveis nos EUA estão alto. O interesse em ativos lastreados em dólar diminuiu", disse Spyer.

Outro ponto que contribuiu para o enfraquecimento do dólar no geral foi a cautela antes do payroll.

"Os juros dos Treasuries em queda na véspera do dado e o Dollar Index mais fraco mostram que o relatório de emprego no geral deve vir mais fraco, principalmente no que se refere ao salário", disse o diretor da Wagner Investimentos, José Raimundo Faria Júnior, acrescentando que um payroll que não é inflacionário reduz as apostas de elevação de juros em dezembro.

No mercado à vista, o dólar terminou em baixa de 0,22%, aos R$ 3,1133. O giro financeiro somou US$ 647 milhões. Na mínima, a moeda ficou em R$ 3,1112 (-0,28%) e, na máxima, aos R$ 3,1272 (+0,51%).

No mercado futuro, o dólar para setembro recuou 0,05%, aos R$ 3,1300. O volume financeiro movimentado somou US$ 11,71 bilhões. Durante o pregão, a divisa oscilou de R$ 3,1280 (-0,11%) a R$ 3,1440 (+0,39%).

Receita abre consulta sobre obrigação de informar pagamentos em espécie
A Receita Federal colocou em consulta pública minuta de Instrução Normativa, disponível na internet, que torna obrigatória a prestação de informações...
JBS perde R$ 955 mi em valor de mercado após anúncio de novo presidente
Em mais um pregão com recorde histórico de pontuação do Ibovespa, as ações da JBS foram o destaque negativo da bolsa e registraram queda de 3,95% nes...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions