A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

18/05/2011 14:43

Endividamento das famílias aumenta em maio na comparação com 2010

Da Agência Brasil

O número de famílias que declarou ter dívidas aumentou, em maio, na comparação com maio do ano passado.

Neste ano, o índice ficou em 64,2% e, no ano passado, neste mês, o percentual das famílias que se declararam endividadas foi 58,7%.

Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada hoje (18), no Rio de Janeiro, pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Na comparação com abril, também houve aumento, já que, no mês passado, o indicador registrou 62,6%.

A pesquisa mostra ainda que, em comparação a abril, o percentual de famílias com dívidas ou contas em atraso, em maio, aumentou, passando de 23,4% para 24,4%. O percentual, porém, é menor do que o registrado em maio de 2010, quando ficou em 25,1%.

O percentual das famílias que declararam não ter condições de pagar as contas ou dívidas também subiu, passando de 7,8% para 8,6%, de abril para maio.

Comparando os mesmos meses (maio de 2011 com maio de 2010), porém, foi identificada certa estabilidade já que, em maio do ano passado, o percentual chegou a 8,5%.

De acordo com a CNC, os números da pesquisa mostram uma alta moderada da inadimplência e que “o crescimento dos empréstimos em ritmo mais rápido do que o da renda, o aumento do custo do crédito e o espaço reduzido para elevações nos prazos de financiamento estão levando a um maior comprometimento da renda das famílias brasileiras com dívidas”.

Para a confederação, se somado ao custo de vida, os indicadores sugerem que a inadimplência poderá aumentar nos próximos meses.

Por faixa de renda, a pesquisa mostra que o aumento do endividamento foi mais expressivo nas famílias com ganhos acima de dez salários mínimos.

Nesse grupo, o percentual de endividados, no mesmo período de comparação, passou de 52,9% para 57,7%.

Para as famílias com renda inferior a dez salários mínimos, o percentual que declarou estar endividado passou de 64,4% em abril para 65,2% em maio.

O uso do cartão de crédito foi apontado como principal motivo da dívida de 71,8% das famílias pesquisadas, seguido dos carnês ( 20,7%) e do crédito pessoal (12,4%) na terceira posição.



E obvio que vai aumentar, e a lei da oferta e da procura em contraposicao com esta alavancada da inflacao, nao foi diminuido o consumo vital percapto em detrimento aos precos abusivos, o que gera esta miserabilidade na renda do brasileiro e automaticamente o que nao e prioridade vai sendo deixado para tras ou para frente, e os indicadores economicos apontam este endividamento, so nao falam o por que dele!
O Governo deve injetar dinheiro no Pais, e em respostas, nao podemos sair consumindo feito malucos capitalistas, desta froma iremos equilibrar nossa economia , mas rezando para o Governo nao desiquilibra la fazendo alguma bobagem, o que e difici. Este e o Brasil ,brasil..............
 
Gustavo Cesar em 18/05/2011 03:10:14
Pesquisa aponta que 61% tem dívidas fixas em Campo Grande
Pesquisa da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo) aponta que, em maio, 571% dos entrevistados informaram que tinham dív...
Procon da Capital abre campanha para orientar comércio e consumidor no Natal
O Procon (Subsecretaria de Proteção e Defesa do Consumidor) de Campo Grande dá início nesta segunda-feira (18) a uma semana de orientação e atendimen...
Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions