A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

19/01/2009 13:41

MS fechou 2008 com queda de 17% na geração de empregos

Redação

No mês de dezembro do ano passado 26.152 trabalhadores foram demitidos em Mato Grosso do Sul, um número recorde que gerou saldo negativo de 15.103 nas vagas de emprego formal. Esse saldo é a diferença entre o número de admitidos e demitidos do período e fez o índice acumulado de vagas geradas, que vinha aumentando, ficar abaixo do de 2007.

Nos 12 meses de 2008 o saldo de empregos foi positivo em 9.866 vagas. Esse desempenho ficou 17,2% abaixo do registrado no ano de 2007, quando foram geradas 11.922 vagas formais de trabalho em Mato Grosso do Sul.

O pior desempenho foi do setor agropecuário, com saldo negativo de 1.448 vagas. No campo foram admitidos 46.569 trabalhadores, ao longo do ano e demitidos 48.017.

A construção civil, que começou o ano a todo vapor, encerrou 2008 quase que empatando o número de admitidos com o de demitidos. O saldo neste setor foi de apenas 78 vagas, um desempenho muito aquém do de 2007, quando gerou 2.612 novos empregos formais.

Na indústria da transformação a queda também foi drástica, de 70%. Enquanto em 2007 as indústrias abriram 2.216 novas vagas no ano que passou foram apenas 661. O setor foi um dos mais afetados pela crise financeira mundial, sofrendo forte baque nas exportações e na obtenção de crédito e a redução da oferta de emprego já era esperada. Só nos frigoríficos foram centenas de demissões. Em dezembro, por exemplo, o frigorífico de aves Diplomata, de Campo Grande, fechou as portas e demitiu 450.

Foram o comércio e setor de serviços que sustentaram os empregos em Mato Grosso do Sul no ano de 2008. O maior saldo entre admitidos e demitidos foi em serviços, de 5.637, seguido pelo comércio, com 4.540

Dezembro

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions