A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 25 de Junho de 2017

01/06/2017 10:00

Nova regra entra em vigor e aérea vai cobrar R$ 30 para despachar malas

Ricardo Campos Jr.
Aeronave da Azul no Aeroporto de Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio)Aeronave da Azul no Aeroporto de Campo Grande (Foto: Marcos Ermínio)

A companhia aérea Azul é a primeira a colocar em prática a cobrança de bagagens em voos nacionais, prática permitida por uma lei que entrou em vigor no fim de abril. A partir desta quinta-feira (1º), começa a valer uma nova classe tarifária que dá direito a apenas uma mala de mão de 10 quilos e cobrará R$ 30 por volumes adicionais.

Em seu site oficial, a companhia promete passagens mais baratas para quem optar em viajar sem despachar bagagem.

Conforme o UOL, a mudança incide inicialmente em 14 trechos e deve ser ampliada para todos os destinos oferecidos pela Azul ao longo dos próximos meses. Campo Grande não está incluída nas mudanças, por enquanto.

A medida só vale para quem comprar bilhetes a partir de hoje. Quem já tinha adquirido as passagens, mesmo após o período de vigência da lei, não serão onerados, conforme informação publicada no site da companhia aérea.

Também haverá mudanças nas franquias dos voos internacionais. A empresa reduziu o limite máximo de peso para as viagens aos Estados Unidos e Europa. Os passageiros poderão levar duas malas de até 23 quilos, enquanto pelas regras antigas os clientes tinham direito a duas malas de 32 quilos.

Nos voos para destinos da América do Sul, ainda conforme o UOL, o limite de bagagens continua em apenas uma mala de 23 quilos, sem cobrança adicional. Em caso de excesso de peso será cobrado adicional que varia conforme a rota.

Enquanto a Azul foi a pioneira em implementar as mudanças em voos nacionais, elas já estão em vigor nas rotas internacionais da Latam desde o dia 18 de maio. Viagens para Estados Unidos ou Europa pela empresa têm direito de levar apenas duas malas de 23 quilos.

Anac recorre de decisão que proíbe cobrança pelo despacho de bagagens
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) recorreu da decisão liminar da Justiça Federal em São Paulo que proibiu as companhias aéreas de começarem ...
Com mudanças à vista, passageiros devem ficar atentos a cobranças indevidas
Enquanto a Câmara dos Deputados não analisa o veto do Senado às normas da Anac (Agência Nacional da Aviação Civil) sobre cobrança de bagagem em voos,...
Veto do Senado à cobrança por bagagens é vitória para consumidor, diz Idec
O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) apoiou a decisão do Senado de revogar a resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) q...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions