ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, DOMINGO  14    CAMPO GRANDE 25º

Economia

Paper acusa Incra de vazar documentos em meio a "briga" pela Eldorado

Multinacional diz que situação resultou na resolução contrária à aquisição do controle da fábrica de celulose

Por Izabela Cavalcanti | 01/03/2024 10:38
Fábrica de celulose, Eldorado Brasil, localizada em Três Lagoas (Foto: Divulgação)
Fábrica de celulose, Eldorado Brasil, localizada em Três Lagoas (Foto: Divulgação)

A Paper Excellence acusa o Incra-MS (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária de Mato Grosso do Sul) de vazar documentos restritos, que resultaram na resolução contrária à aquisição do controle da Eldorado Celulose.

Na semana passada, o Incra negou recurso da multinacional, que tenta desde 2017 controlar a fábrica de celulose de Três Lagoas, a 327 km de Campo Grande.

Porém, conforme o jornal O Globo, a acusação é de que a negativa do recurso tenha vazado antes que o texto fosse juntado ao processo.

Na petição enviada ao Incra, a Paper apresenta uma ata notarial com imagens do sistema do Incra em diferentes dias e horários, mostrando que o documento só entrou no sistema dias após o seu vazamento.

Setor técnico do Incra informou ao Campo Grande News que a empresa fala sobre vazamento, mas não aponta quem o fez.

“Da parte do Superintendente Regional e dos setores que acompanharam o processo, essa acusação infundada causou surpresa. Mas será apurado e a Paper terá que provar a acusação, uma vez que eles também possuem acesso total ao processo desde o ano passado”, disse em nota.

Ainda de acordo com o setor, a reclamação foi encaminhada a AGU (Advocacia-Geral da União) para que sejam estabelecidos os parâmetros legais para a resposta.

Entenda - A empresa brasileira, controlada pela J&F Investimentos, vendeu 49,5% ao grupo indonésio naquele ano, com promessa de venda do restante das ações, transação que envolveria R$ 15 bilhões.

Entretanto, mudou de opinião e, com isso, desencadeou-se uma guerra jurídica que vinha favorecendo a sócia.

Em 2017, a multinacional pagou R$ 3,7 bilhões pela planta localizada em Três Lagoas. Em janeiro deste ano, a J&F marcou data para encerrar de forma consensual o contrato de venda da Eldorado Celulose à Paper, mas a negociação não prosseguiu.

O que levou a esse desfecho foi a decisão do Incra de considerar nulo o negócio devido à ausência de cumprimento da legislação nacional.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias