ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 22º

Economia

Porto Murtinho receberá R$ 400 milhões em investimentos com a Rota Bioceânica

"Investimentos vão alavancar o potencial econômico", garante o secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel

Por Jhefferson Gamarra | 08/02/2022 13:45
Área portuária instalada na cidade de Porto Murtinho. (Foto: Divulgação)
Área portuária instalada na cidade de Porto Murtinho. (Foto: Divulgação)

Com o projeto da Rota Bioceânica em pleno vapor, a cidade de Porto Murtinho, a 439 quilômetros de Campo Grande, será uma das mais beneficiadas com desenvolvimento, geração de empregos e investimentos que ultrapassam os R$ 400 milhões.

O projeto mais adiantado é da Docas Fluvial de Murtinho, autorizado na Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários), em que serão investidos cerca de R$ 100 milhões na construção de um terminal de granel sólido para produtos agrícolas, fertilizantes e insumos, com capacidade de movimentar mais de 2,2 milhões de toneladas no ano. O outro que está sendo viabilizado é o de Porto Saladero, que ainda está em fase inicial do projeto.

Secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel, destacou a importância do projeto para o Estado. (Foto: Arquivo)
Secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel, destacou a importância do projeto para o Estado. (Foto: Arquivo)

“Estes dois empreendimentos são exemplos do que vem por aí”, destacou o secretário de Infraestrutura, Eduardo Riedel, reforçando que a Rota Bioceânica vai alavancar potencial econômico de Mato Grosso do Sul.

A previsão inicial é gerar 450 empregos diretos e indiretos. A empresa já possui área de cinco hectares na barranca do Rio Paraguai, onde vai construir as linhas de carregamento, três silos de 15 mil toneladas cada e um armazém para 35 mil toneladas de fertilizantes. O grupo já opera outros 3 portos, sendo 2 no Uruguai e 1 no Paraguai.

“Estes portos vão diversificar nichos de produtos de exportação e importação. A ideia é movimentar mercadorias variadas. A tendência é fazer um ou dois terminais para grãos e outros voltados para combustíveis, fertilizantes e produtos de valor agregado”, salientou o secretário da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Produção, Desenvolvimento Econômico e Agricultura Familiar), Jaime Verruck.

Além desses projetos, outros grupos estudam empreendimentos e já adquiriram áreas próximas ao terminal do governo.

Nos siga no Google Notícias