A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Maio de 2018

17/03/2018 12:22

Sindicato estuda medidas judiciais para validar tabela de corretores de imóveis

Sindimóveis/MS também promove abaixo-assinado com a categoria e avalia providências jurídicas contra decisão do Cade que desobriga aplicação da tabela de honorários no mercado imobiliário

Humberto Marques
Marta Recalde: fim da tabela pode tumultuar o mercado imobiliário. (Foto: Sindimóveis/Divulgação)Marta Recalde: fim da tabela pode tumultuar o mercado imobiliário. (Foto: Sindimóveis/Divulgação)

O Sindimóveis/MS (Sindicato dos Corretores de Imóveis de Mato Grosso do Sul) avalia qual seria a melhor forma jurídica para contestar decisão do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) que desobriga a aplicação da tabela de honorários no mercado imobiliário –que garante as comissões dos profissionais e imobiliárias na negociação de propriedades.

Conforme informações do sindicato, há em todos os Estados uma tabela com percentuais que variam de 5% a 10% do valor de cada negócio –sendo o primeiro percentual o mais comum aplicado em Mato Grosso do Sul. “É uma tabela feita dentro da legislação que rege o exercício da profissão, com a devida homologação do Creci [Conselho Regional dos Corretores de Imóveis]”, informou, via assessoria, a presidente do Sindimóveis/MS, Marta Recalde.

O dispositivo que prevê a taxa de corretagem se refere ao artigo 17, inciso VI, da lei federal 6.530/1978, que regulamenta a profissão de corretor de imóveis. Marta afirma que, no Estado, há sete mil corretores em atuação, e que a decisão do Cade tem potencial para tumultuar o mercado. “Imagina cada um tendo a liberdade de cobrar o que quiser?", questiona ela.

“Sugestivo” – Ela defendeu a manutenção da tabela como dispositivo que cria parâmetros “para quem exerce determinada profissão, a fim de que receba valores condizentes com o trabalho realizado, de modo a coibir a desvalorização e o aviltamento dos corredores de imóveis como profissionais liberais”.

A presidente do sindicato reforça que o Cade não extinguiu a tabela, porém, determinou que ela passe a ter caráter “sugestivo e orientativo” –em outras palavras, permite cobranças em valores abaixo do praticado no mercado, o que teria potencial para desestabilizar a carreira. Por esse motivo, tem orientado os corretores a comparecerem à sede do Sindimóveis na Capital (na rua 7 de Setembro , 2.080) para participarem de abaixo-assinado que vai integrar a medida jurídica a ser tomada no caso.

Moradores do Canaã IV são convocados para regularizar imóveis na Agehab
A Agehab (Agência Municipal de Habitação de Interesse Social) de Dourados - cidade localizada a 233 km de Campo Grande - está solicitando aos morador...
Com reforma trabalhista, corretores e imobiliárias alteram vínculo empregatício
Com as mudanças da reforma trabalhista, que passaram a valer no último sábado (11), corretores de Mato Grosso do Sul estão optando, cada vez mais, pe...
Corretores de imóveis se reúnem na próxima semana em congresso nacional
Entre os dias 4 e 6 de setembro, corretores de imóveis de todo o país estão reunidos em Bonito - distante 257 km de Campo Grande, para a 26ª edição d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions