ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEGUNDA  25    CAMPO GRANDE 17º

Economia

Sul-mato-grossense é o mais carnívoro do País com 29,1 kg de carne/ano

Pesquisa mostra que consumimos menos arroz, feijão, sal e açúcar e refrigerante mas estamos bebendo mais cerveja

Por Rosana Siqueira | 03/04/2020 13:42
Consumidor de MS consome cerca de 29,1 quilos de carne por ano (KIsie Ainõa)
Consumidor de MS consome cerca de 29,1 quilos de carne por ano (KIsie Ainõa)

Com 29,1 quilos de carnes per capita ano, o sul-mato-grossense é o maior consumidor do produto in natura no Brasil. O que confirma a nossa fama de carnívoros e apreciadores de um bom churrasco. Já o consumo de arroz e feijão no Estado vem caindo gradativamente quase pela metade nos últimos anos. E mais estamos bebendo mais álcool, mas reduzimos o consumo de sal e açúcar.

Este raio X dos hábitos de consumo foram mostrados hoje pela Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) 2017-2018 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas). Na publicação são apresentados os resultados referentes às quantidades da aquisição de alimentos para consumo no domicílio, per capita no ano, de alimentos e bebidas da população brasileira.

Uma análise histórica por produtos selecionados revelou que o arroz com feijão, composição tradicional das refeições no Brasil e no Estado, apresentou uma redução considerável nas quantidades adquiridas para o consumo domiciliar. Enquanto na pesquisa anterior, a quantidade média per capita adquirida de arroz em MS foi de 31,5 kg, na POF 2017-2018 ela foi de 25,29 kg, recuo de 42%. Já o consumo médio de feijão, por sua vez, ficou em 9,3 kg, em 2002-2003, para 4,6 kg na POF 2017-2018, redução de 50,5%, bem próxima da média nacional que foi de 52%.

Uma boa notícia foi que a aquisição de frutas e hortaliças cresceu no Estado neste período. A compra de frutas em 2017-2018 foi de 26,43 Kg/ano, um acréscimo de 44,57% em relação à 2002-2003 ( 18,26 kg). A média ficou próxima da média nacional (26,414 kg).

As frutas prediletas por aqui são: Banana (6,74 kg), laranja (5,18 Kg) e melancia (3,97 kg). Nas hortaliças também houve um avanço de compras em MS, e ficou em 28,734 kg, um aumento de 16,05% com relação à 2002-2003 (24,76 kg), maior que a média nacional (23,77 kg). As mais consumidas foram: tomate (6,26 kg), batata-inglesa (4,20 kg) e mandioca (3,83 kg).

Carnívoros – A pesquisa apontou uma coisa que muita gente desconfiava. MS tem  maior aquisição per capita de carnes do País, mas a 3º menor em pescados Quando analisadas as aquisições em kg/ano, os números de MS se destacam novamente. Enquanto a média de aquisição de carnes no país é de 20,76 kg, No Estado, a aquisição dos grupos de carnes se divide em: 6,69kg de carne bovina de primeira, 9,96 kg de carne bovina de segunda, 5,66 kg de carnes bovinas outras e 4,61 kg são de carne suína. A comparação com os anos de 2002-2003 (29,12kg) e 2008-2009 (29,23 kg) mostra um tímido aumento, quase sendo considerado estável.

O peixe não tem muito espaço no cardápio do sul-mato-grossense ao contrário dos vizinhos do Mato Grosso. Aqui a o consumo médio per capita é o 3°menor do país, com 1,03 kg por ano. A média nacional foi de 2,79 kg. A aquisição de pescados sofre queda de 27,5% se comparada a 2008-2009 (0,75kg).

No caso das aves, o consumo também é elevado de 9,66kg deste tipo de proteína anualmente, o que coloca o Estado em 2º no ranking do Centro-Oeste, ficando à frente do MT (8,59kg) e bem distante de GO, que fica em 1º com 14,03kg. A média nacional foi de 12,43 kg.

Os ovos adquiridos por ano somam 3,20kg. Com esse número, à frente de MS fica apenas MT no CO, cujas famílias adquirem em média 4,06kg de ovos. Quando considerados os números de aves e ovos em conjunto tem-se 12,85kg, bem abaixo da média nacional para 2017-2018 (15,76kg), a aquisição sofre queda, tanto quando comparada a 2008-2009 (12,94kg), quanto a 2002- 2003 (13,48kg).

O uso do laticínios na alimentação do sul-mato-grossense ficou em 36,80 kg,  maior do que os demais estados do Centro- Oeste: Mato Grosso (36,12 kg), Goiás (33,65kg) e Distrito Federal (26,80 kg). Em comparação com a pesquisa anterior, os resultados apontam que houve uma redução no consumo de leites e derivados, tanto em Mato Grosso do Sul quanto nos demais estados da região Centro-Oeste.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade


Menos sal e açúcar – Um ponto positivo na pesquisa foi que a população de MS reduziu o consumo de sal e açúcar. Na análise de sais e condimentos, o Estadol apresentou redução de 6 kg em 2008-2009 para 4,3 kg em 2017-2018 por pessoa, uma queda de 28,3%.

O açúcar também cortamos bem. A média per capita de açúcares, doces e produtos de confeitaria foi de 18,7 kg, em 2008-2009, para 14 kg em 2017- 2018 (queda de 25,1%).

O consumo de açúcar cristal caiu 34,6%, indo de 12,7 kg em 2008-2009, para 8,3 kg em 2018-2019. A aquisição de açúcar refinado aumentou de 0,7 kg em 2008-2009 para 1,5 kg em 2017-2018.

 Bebendo mais álcool – Enquanto o consumo de refrigerantes caiu no Estado o uso do álcool cresceu no período. Dentro do grupo Bebidas e infusões, que apresentaram aumento de suas quantidades per capita médias adquiridas entre os períodos de realização das POFs nacionais, as Bebidas alcoólicas, em MS, tiveram aumento de 23,10%, com destaque para a Cerveja com saldo positivo de 27,24%.

Já o consumo de Bebidas não-alcoólicas no estado vai na direção oposta a lógica nacional, com o decréscimo no consumo em 16,33%. No grupo de Bebidas não alcoólicas, tem havido uma diminuição no consumo de Refrigerantes. Tira-se como exemplo os Refrigerantes de cola, o mais popular entre eles, cujo consumo caiu 30,94%. Na direção oposta estão a Água mineral e o Suco de fruta envasado, com aumento de 23,94% e 63,96% respectivamente.