A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

14/03/2011 16:30

União vai liberar menos de 40% do necessário para MS, diz André

Jorge Almoas e Fabiano Arruda

Governador refere-se ao montante estimado para recuperar estradas e ajudar produtores rurais

Governador elencou recuperação de estradas vicinais como prioridade (Foto: João Garrigó)Governador elencou recuperação de estradas vicinais como prioridade (Foto: João Garrigó)

O governador André Puccinelli declarou em reunião nesta segunda-feira na Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul) com cerca de 40 prefeitos e membros da bancada federal, que a União deve liberar menos de 40% dos recursos necessários para cobrir os prejuízos causados pelas chuvas.

“Vamos ter que cortar gastos e colocar grana do Estado para ajudar os municípios”, disse o governador. Puccinelli acrescentou que os cortes não vão afetar o custeio do Estado, bem como a folha de pessoal.

André deu um “puxão de orelha” nos prefeitos, que decretam situação de emergência sem critérios. “Não adianta fazer decreto para conseguir dinheirinho. O pedido tem que ser feito de forma planejada e organizada, para que a liberação seja mais ágil”, cutucou o governador, colocando a Defesa Civil à disposição para elaboração dos laudos que atestam a necessidade do decreto de situação de emergência.

Em visita a Mato Grosso do Sul na última sexta-feira, o ministro da Integração Nacional Fernando Bezerra, autorizou a liberação de R$ 5 milhões em caráter emergencial para os municípios mais afetados pelas chuvas.

No entanto, o governador relembrou que R$ 9 milhões foram solicitados pelo governo em setembro do ano passado, para atender oito municípios que tiveram a situação de emergência reconhecida.

“Vai ficar feio liberar esse dinheiro agora e deixar aquele de 2010 pendente”, explicou André.

As prioridades do governador no uso dos recursos para auxiliar os municípios será a reconstrução de estradas vicinais, que servem para escoar a produção e servem como meio de acesso de alunos às escolas. Puccinelli colocou a reconstrução de pontes em segundo plano, uma vez que, em alguns casos, a obra pode demorar até oito meses.

Outra ação a ser contemplada no plano do governo é a remoção das 891 famílias das áreas de risco.

Sobre as perdas na lavoura – estimadas em 1,6 milhão de toneladas – o governador acredita que, se o tempo permanecer firme, o prejuízo será menor, do que se forem consideradas as áreas onde o grão está com a qualidade comprometida por conta do excesso de chuva.

Em atendimento a um pedido do governador, o ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento já auxiliou alguns rizicultores (produtores de arroz), com linhas de crédito diferenciadas.

Puccinelli, que amanhã participa de reunião com o ministro da Agricultura, Wagner Rossi, espera sensibilizar a União para a prorrogação das dívidas de produtores rurais.

Prefeitos e bancada se reúnem nesta segunda na Assomassul
Reunião deve expor prejuízos dos municípios com a chuvaPara discutir números dos prejuízos causados pela chuva em Mato Grosso do Sul, os prefeitos d...
Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...


Digo e repito: se a União tem verba e se diz disponível para ajudar o Japão, por quê não tem verba para ajudar um de seus Estados? Não faz sentido.
 
Gisele Sena Bertolazo em 14/03/2011 04:49:48
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions