A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 25 de Setembro de 2018

29/07/2018 19:27

Clima seco e asfalto do autódromo impõem desafio, apontam equipes

Campo Grande recebeu etapas da Copa Truck e também do Mercedes-Benz Challenge neste fim de semana

Gabriel Neris e Kleber Clajus
Pista do autódromo internacional proporciona desafio aos pilotos (Foto: Paulo Francis)Pista do autódromo internacional proporciona desafio aos pilotos (Foto: Paulo Francis)

O clima seco de Campo Grande nesta época do ano e a qualidade do asfalto do autódromo são alguns dos desafios impostos aos pilotos. É o que apontam as equipes da Copa Truck e da Mercedes-Benz Challenge, que passaram pelo município neste fim de semana.

Franz Schmidt, chefe da equipe AM Motor Sport, da Truck, afirma que a condição climática, seco e quente, faz com que as corridas sejam mais conservadoras. “Por conta da poeira e condição do asfalto a impressão é de que estamos andando na chuva”, diz.

Ele compara a pista abrasiva com os locais de prova de Dubai por conta da areia. Quando a prova começou, a pista registrava 40ºC.

Luciano Mottin, da Mottin Racing, conta que a dificuldade na Mercedes-Benz Challenge é manter o carro na pista. “É lisa, os carros perdem a aderência. Uma das corridas mais desafiadoras e também emocionante”, afirma.

Bárbara Rodrigues é diretora da Bardahl Hot Car. Ela diz que o traçado não é fácil e quem escapar da pista terá dificuldades para retomar. A equipe também atua na Stock Car e já trabalha se preparando para a prova do dia 19 de agosto. Segundo ela, a maior preocupação é o veículo escapar e pegar fogo.

O piloto da mesma equipe, Cesar Marucci, diz que em “Campo Grande é difícil dar duas voltas iguais. Cada volta é uma surpresa”.

De acordo com a prefeitura, a melhoria no asfalto será incluída no orçamento do próximo ano. Para esta etapa algumas zebras foram refeitos e houve maior suporte com segurança de pneus. A prefeitura se utilizou de equipes do Sisep (Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos) para reduzir o custo de operações da reforma.

O presidente da Fams (Federação de Automobilismo de Mato Grosso do Sul), Wagner Coim, afirmou que a entidade ajudou com R$ 28 il em tintas para retoes na pista. Neste fim de semana foram necessárias 1,5 mil pessoas trabalhando. A expectativa é a de que o número dobre para a etapa da Stock Car.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions