ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JUNHO, SEXTA  14    CAMPO GRANDE 29º

Esportes

Em apoio a operação ‘Cartão Vermelho’, Acems cobra mudança em federação

Em nota, associação cita que federação está 'praticamente acéfala e vivendo uma crise jamais vista'

Por Jéssica Fernandes | 22/05/2024 17:38
Francisco Cezário em junho de 2022, quando tomou posse para o 7º mandato. (Foto: Henrique Kawaminami)
Francisco Cezário em junho de 2022, quando tomou posse para o 7º mandato. (Foto: Henrique Kawaminami)

Através de nota, a Acems (Associação de Cronistas Esportivos de Mato Grosso do Sul) fez a primeira manifestação pública sobre a operação ‘Cartão Vermelho’. Deflagrada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), a investigação tem como um dos alvos Francisco Cezário de Oliveira, 77 anos, que comanda a FFMS (Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul).

Assinada pelo presidente da Acems, José Antonio Coca e o vice-presidente Thiago Lopes de Faria, a nota começa citando a operação que ‘trouxe à tona o maior escândalo de corrupção da história do nosso futebol’. Na continuação, a associação sai em defesa da continuidade das investigações ‘como forma de passar a limpo o combalido futebol profissional de Mato Grosso do Sul’.

Além do ‘dono da bola’, como é conhecido Francisco Cesário, a operação Cartão Vermelho investiga outras seis pessoas. A lista de investigados inclui dirigentes da FFMS, hoteis e barbearias do interior do Estado.

Segundo o MPMS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), a operação tem como objetivo desmontar organização criminosa instalada na FFMS para desviar valores provenientes de convênios com o Estado de Mato Grosso do Sul e repassados pela CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

‘Hora de agir’ - Na nota, a Acems chama atenção das ‘pessoas de bem’ que militam no esporte dizendo que é hora de reagir e cobrar mudanças da FFMS. Leia o documento na íntegra:

A Acems – Associação de Cronistas Esportivos de Mato Grosso do Sul – acompanha os desdobramentos da operação cartão vermelho do Ministério Público Estadual, através do Gaeco - Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado – que trouxe à tona o maior escândalo de corrupção da história do nosso futebol, com prisões e cumprimentos de mandados de busca e apreensão.

    Entendemos que todas as pessoas presas e denunciadas tenham amplo direito à defesa, mas é necessário que apoiemos as investigações como forma de passar a limpo o combalido futebol profissional de Mato Grosso do Sul, que hoje é um dos piores no ranking da CBF. 

    O Ministério Público Estadual e a justiça estão fazendo a sua parte, mas as pessoas de bem que militam no esporte, também precisam reagir, não apenas com indignação, mas cobrando firmemente mudanças no comando da FFMS – Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul - que está praticamente acéfala e vivendo uma crise jamais vista.

    É necessário que a CBF e a justiça desportiva, atuem para que as coisas realmente mudem, para o bem do nosso futebol. é hora de agir porque existem competições em andamento, outras perto de iniciar e, mais do que isso, cada dia perdido, pode não ser recuperado.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias