A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


16/10/2014 06:00

A origem dos boatos sobre o vírus ebola em Campo Grande

Edivaldo Bitencourt

Indecisão irrita – A demora do candidato derrotado ao Senado, Alcides Bernal (PP), em anunciar apoio no segundo turno irritou até os aliados. Eles até chegam a ironizar a dúvida entre Delcídio do Amaral (PT) e Reinaldo Azambuja (PSDB).

Empurrão – Para os aliados, o apoio de Gilmar Olarte (PP) e da maior parte do PMDB foi a chance que faltava para Bernal subir no palanque petista. No entanto, ele seguiu no muro e até insinuou que poderia apoiar o tucano.

Estrela – O governador reeleito do Paraná, Beto Richa (PSDB), reforça, nesta quinta-feira, a campanha de Reinaldo no Estado. Ele vem participar de carreata e caminhada no município de Naviraí, na região sul do Estado.

Estrela 2 – Após cancelar a agenda na terça-feira, a ministra Ideli Salvati, é esperada para reforçar a campanha de Delcídio em Campo Grande. A primeira viagem foi cancelada e uma nova ainda não foi marcada. O ministro Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência, também já esteve no Estado para reforçar a campanha petista.

O cara – A falta de leitos causou a onda de boatos sobre a presença de um paciente com ebola no Hospital Universitário. Um paciente foi instalado na ala destinado aos casos contagiosos e com isolamento. Funcionários viram o homem no local e espalharam o caso, que teve repercussão imediata no País.

Hipóteses – O secretário estadual de Saúde, Antônio Lastória, ficou irritado com os boatos. O primeiro era de que um nigeriano do Aquário do Pantanal; o segundo era um queniano que veio para a Volta das Nações; o terceiro era um missionário de Serra Leoa.

Até na Venezuela – O boato de que um paciente com suspeita do ebola estava internado no HU repercutiu até no exterior. A Fundação Osvaldo Cruz, no Rio de Janeiro, recebeu ligações até da Venezuela em busca de informações sobre o boato.

Debates – O número de debates entre os candidatos a governador será menor em relação ao primeiro turno. Delcídio e Reinaldo só devem se enfrentar em dois confrontos diretos. O principal, da TV Morena, acontecerá no dia 21 deste mês.

Ataques – O horário eleitoral dos candidatos a governador virou um tiroteio. Delcídio e Reinaldo usam denúncias para atacar o adversário e se defender do bombardeio. E um ataca o outro de não estar promovendo uma campanha limpa.

Online - Derrotado no primeiro turno, Nelsinho Trad (PMDB) anunciou apoio a Reinaldo Azambuja (PSDB) e empenho para derrotar Delcidio do Amaral (PT). Que se tem notícia, só tem feito campanha discreta no facebook.

(colaborou Michel Faustino e Lidiane Kober)

Máfia do Cigarro passa quase livre nas estradas
Esquema antigo - A atuação da Máfia do Cigarro em Mato Grosso do Sul vem de décadas e, de tempos em tempos, surge uma nova denúncia envolvendo polici...
MS também tem "bunker" cheio de dinheiro
Versão tupiniquim - O “bunker”de Geddel Vieira, que escondeu R$ 51 milhões de propina, tem versão pantaneira. Paredes de apartamento de um político e...
Secretário torce e comemora venda da folha
Torcida - Parecia um jogo valendo título a forma como o secretário de Finanças e Planejamento de Campo Grande, Pedro Pedrossian Neto, acompanhava a a...
Partidos fazem "fila" por Takimoto
Desejado - Na mira do PDT para perder o mandato, o deputado estadual George Takimoto já tem fila de interessados em seu passe na Assembleia Legislati...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions