A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 15 de Outubro de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


16/10/2014 06:00

A origem dos boatos sobre o vírus ebola em Campo Grande

Edivaldo Bitencourt

Indecisão irrita – A demora do candidato derrotado ao Senado, Alcides Bernal (PP), em anunciar apoio no segundo turno irritou até os aliados. Eles até chegam a ironizar a dúvida entre Delcídio do Amaral (PT) e Reinaldo Azambuja (PSDB).

Empurrão – Para os aliados, o apoio de Gilmar Olarte (PP) e da maior parte do PMDB foi a chance que faltava para Bernal subir no palanque petista. No entanto, ele seguiu no muro e até insinuou que poderia apoiar o tucano.

Estrela – O governador reeleito do Paraná, Beto Richa (PSDB), reforça, nesta quinta-feira, a campanha de Reinaldo no Estado. Ele vem participar de carreata e caminhada no município de Naviraí, na região sul do Estado.

Estrela 2 – Após cancelar a agenda na terça-feira, a ministra Ideli Salvati, é esperada para reforçar a campanha de Delcídio em Campo Grande. A primeira viagem foi cancelada e uma nova ainda não foi marcada. O ministro Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência, também já esteve no Estado para reforçar a campanha petista.

O cara – A falta de leitos causou a onda de boatos sobre a presença de um paciente com ebola no Hospital Universitário. Um paciente foi instalado na ala destinado aos casos contagiosos e com isolamento. Funcionários viram o homem no local e espalharam o caso, que teve repercussão imediata no País.

Hipóteses – O secretário estadual de Saúde, Antônio Lastória, ficou irritado com os boatos. O primeiro era de que um nigeriano do Aquário do Pantanal; o segundo era um queniano que veio para a Volta das Nações; o terceiro era um missionário de Serra Leoa.

Até na Venezuela – O boato de que um paciente com suspeita do ebola estava internado no HU repercutiu até no exterior. A Fundação Osvaldo Cruz, no Rio de Janeiro, recebeu ligações até da Venezuela em busca de informações sobre o boato.

Debates – O número de debates entre os candidatos a governador será menor em relação ao primeiro turno. Delcídio e Reinaldo só devem se enfrentar em dois confrontos diretos. O principal, da TV Morena, acontecerá no dia 21 deste mês.

Ataques – O horário eleitoral dos candidatos a governador virou um tiroteio. Delcídio e Reinaldo usam denúncias para atacar o adversário e se defender do bombardeio. E um ataca o outro de não estar promovendo uma campanha limpa.

Online - Derrotado no primeiro turno, Nelsinho Trad (PMDB) anunciou apoio a Reinaldo Azambuja (PSDB) e empenho para derrotar Delcidio do Amaral (PT). Que se tem notícia, só tem feito campanha discreta no facebook.

(colaborou Michel Faustino e Lidiane Kober)

#FicaTemer: governo vai deixar saudades, avalia Marun
#FicaTemer – A hastag bombou nas redes sociais impulsionada por eleitores que fazem oposição ao candidato à Presidência Jair Bolsonaro, e o ministro ...
O ato falho de Odilon ao anunciar apoio
Tropeço – No ato em que recebeu apoio do MDB na disputa pelo governo estadual, Odilon de Oliveira (PDT) também aproveitou para declarar seu apoio a J...
Deputada não reeleita critica regras
Justificativa - A deputada Mara Caseiro (PSDB) comentou ontem na Assembleia Legislativa que não se elegeu pelas regras da legenda, já que sua votação...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions