A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


29/09/2014 06:00

Cavaletes, além de poluir visualmente, estão cada vez maiores

Marta Ferreira
Cavalete tem quase dois metros de altura enquanto os vizinhos não passam de um metro. (Foto: Marcelo Victor)Cavalete tem quase dois metros de altura enquanto os vizinhos não passam de um metro. (Foto: Marcelo Victor)

Lógica - Por quê o cachorro entra na igreja? A resposta é evidente: porque a porta está aberta, ou seja, não foi impedido por ninguém. Essa máxima vale também para a campanha eleitoral e as espertezas dos candidatos para tentar burlar a lei. Eles vão até onde deixam.

Cresceram – Exemplo disso são os cavaletes de campanha, espécie esdrúxula de substitutos do outdoor, proibido há algumas campanhas, e que estão sendo feitos de acordo com a capacidade financeira e a criatividade de cada equipe, cada vez mais no limite permitido pela lei.

O dobro – Os canteiros centrais de Campo Grande estão cheios de exemplos. Na esquina da Avenida Mato Grosso com a Rua Alagoas, era possível ver, neste domingo, um cavalete em destaque sobre os outros. Tinha pelo menos 2 metros de altura, enquanto os “vizinhos” não passavam de um metro.

Gambiarra – É fato que, além da bagunça visual, essas peças de propaganda são vistas com desconfiança pelas próprias equipes de campanha. De eficácia duvidosa, elas exigem improvisação, com pedras, garrafas PET e outros objetos, para ficar em pé. Além disso, se transformaram em pura poluição visual, atralhando inclusive o trânsito.

Calendário –  Uma medição dos cavaletes que estão na rua foi determinada pela equipe que faz a fiscalização da campanha eleitoral na justiça e deve detectar se as regras estão sendo cumpridas em Campo Grande.

Corredo atrás – Presidente da Cassems até se afastar para disputar a eleição, o candidato ao Senado pelo PT, Ricardo Ayache, fez campanha ontem de forma inusitada. Pela manhã, participou da corrida promovida pelo plano de saúde, acompanhado da família e vestido com a camisa rosa do evento.

Evolução – O relatório sobre as finanças da prefeitura de Campo Grande divulgado na sexta-feira (26) indica que o gasto com o pagamento de pessoal do Legislativo Municipal cresceu 45,7% nos últimos dois anos, ajudando a pressionar o caixa municipal.

Números – Conforme os dados, referentes ao período entre janeiro e agosto, em 2012, último ano da legislatura anterior, e o mesmo período deste ano, o valor usado pelo Executivo para bancar a folha da Câmara cresceu de R$ 28 milhões para R$ 40,8 milhões.

Reajuste – Essa alta inclui o pagamento do reajuste recebido pelos vereadores no começo desta legislatura, que chegou a 63%. A ampliação do gasto não acompanha esse percentual porque as outras categorias não tiveram aumentos tão expressivos.

Diferença – Comparando o primeiro ano da atual legislatura como o início da legislatura passada, o gasto do Município para bancar o pagamento de pessoal da Câmara cresceu 99%. Em 2008, a despesa era de R$ 16,7 milhões.

Maioria prefere Lava Jato à Copa do Mundo
Copa? – Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, a menos de um mês do Mundial da Rússia, o brasileiro não está muito motivado com o assunto. A consul...
Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...
PMs presos têm “festival de ações”
Conhecidos da justiça - Entre as duas dezenas de policiais militares de Mato Grosso do Sul presos esta semana por suspeita de facilitar a vida dos co...
O entrave no cadastro de pedófilos
Entrave burocrático – Autor do projeto de lei que criou o cadastro de pedófilos em Mato Grosso do Sul, o ex-deputado estadual Carlos Alberto David, d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions