A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Maio de 2018


  • Jogo Aberto
  • Jogo Aberto

    jogoaberto@campograndenews.com.br


23/10/2014 06:00

Debate na TV vira cartada final de candidatos ao Governo

Edivaldo Bitencourt

Última cartada – O único debate do segundo turno será a cartada final dos candidatos a governador para conquistar os eleitores em Mato Grosso do Sul. Com a disputa embolada, segundo as pesquisas, cada ponto fará a diferença na abertura das urnas no domingo. O confronto acontece após a novela Império, na TV Morena.

EstratégiaDelcídio do Amaral, candidato a governador do PT, deverá centrar fogo nas comparações com Reinaldo Azambuja (PSDB). No horário eleitoral, ele recorreu aos recursos liberados por cada um.

Estratégia 2 – Com presidenciável Aécio Neves (PSDB) em alta, Reinaldo deve reforçar a dobradinha do 45 nas eleições no segundo turno. Além disso, o tucano aposta na alta aprovação que conseguiu após comandar Maracaju por dois mandatos.

Denúncias – A estratégia de usar denúncias contra o adversário vem sendo questionada por especialistas e pelo eleitor. Pesquisa Datafolha, sobre a sucessão presidencial, aponta que 71%dos brasileiros condenam os ataques durante os debates.

Estrelas – José Serra, ex-ministro da Saúde e senador eleito por São Paulo, veio ao Estado para reforçar a campanha de Reinaldo Azambuja. O tucano concedeu entrevista e fez carreata em Dourados, a segunda maior cidade do Estado.

Fundersul – O novo governador terá um orçamento generoso para investir na infraestrutura de rodovias em 2015. O Orçamento do Estado para 2015 prevê R$ 412 milhões para o Fundersul, contra R$ 266 milhões neste ano.

Dívida – O Estado de Mato Grosso do Sul vai gastar mais de R$ 1 bilhão com o pagamento da dívida pública no próximo ano. Reduzir esse pagamento, que compromete as receitas estaduais desde os anos 90, será a principal missão de Delcídio ou Reinaldo.

Social – O gasto de R$ 1 bilhão com a dívida é quatro vezes superior ao volume previsto para o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian no mesmo período. A instituição terá R$ 242 milhões. O valor também é cinco vezes superior aos gastos previstos com a UEMS (Universidade Estadual).

Reforma – O prefeito da Capital, Gilmar Olarte (PP), começa a definir a mudança no primeiro escalão. Após Semy Ferraz (Secretaria de Obras) e coronel Jonys Cabreira Lopes (Guarda Municipal), Edil Albuquerque (PMDB) deve ser o próximo a pedir o chapéu.

Reforma 2 – A mudança no primeiro escalão já começa a mobilizar os vereadores. Eles são contra a nomeação de César Afonso, que é o braço direito de Olarte, para a Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Ele já foi titular da pasta na gestão do progressista.

(colaborou Kleber Clajus)

DEM e a disputa entre André e Reinaldo
Já escolhi - Sobre a declaração de Puccinelli que estaria "namorando" o DEM, o deputado Zé Teixeira fez brincadeira para dizer de qual lado da disput...
Maioria prefere Lava Jato à Copa do Mundo
Copa? – Pesquisa do Instituto Paraná mostra que, a menos de um mês do Mundial da Rússia, o brasileiro não está muito motivado com o assunto. A consul...
Ex-ministro não errou o “do Sul”, mas...
Gafe - O ex-ministro Henrique Meireles (MDB) em um dos diversos discursos no evento em Campo Grande neste sábado (19) confundiu Mato Grosso do Sul co...
PMs presos têm “festival de ações”
Conhecidos da justiça - Entre as duas dezenas de policiais militares de Mato Grosso do Sul presos esta semana por suspeita de facilitar a vida dos co...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions